.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

terça-feira, 31 de maio de 2016

Além das janelas....


O que será que há por trás dessas janelas? E das outras? Pessoas? Sensos? Razões? Humanos? Desespero? Medo? Solidão? Felicidade? Amor? Morte? Vida? Simples interrogações? O que? 

Eu arriscaria um palpite: existem historias… de vida, de gente… animais racionais que passam mais tempo presos as suas necessidades fabricadas do que na irracionalidade real de sua existência. 

Histórias, dessas que todos já ouvimos falar, daquelas representadas em filmes, cantadas em canções, escritas em poemas e crônicas, livros de dramas com a essência adquirida pela falta do que não se sabe. Não há inédito na vida…!

Somos tantas ilusões trans-vestidas de sonhos e objetivos egoístas que nem procuramos saber quem está do outro lado, além das janelas. Somos tão autosuficientes que criamos essa perspectiva de que tudo já fora contado – já fora vivido – já fora presenciado – tudo já fora escrito.... mas não foi... Há inédito em nós! 

Por trás de cada janela existe um oculto, existe o de “tudo”, porque, o tudo se relaciona com a complexibilidade da vida humana… contudo nem tudo foi descoberto, não quando se trata do individual, pois cada um guarda por de trás das janelas fechadas da alma, seus mais profundos segredos!


Gisele Mulek 


segunda-feira, 30 de maio de 2016

Engaiolada...



É triste porque eu sei que já fui melhor. Porque eu olho pra mim e não me reconheço mais, a ingenuidade outrora tão evidente hoje eu nem sei onde deixei. É triste porque eu me tornei amarga quando se trata de relacionamentos, porque tantas inverdades me fizeram agora duvidar das verdades. É triste porque eu sempre implodi ao invés de explodir e isso me deixou com cicatrizes profundas; já não doem mais, mas me fazem lembrar de quem elas me tornaram.... Hoje eu quase chorei porque depois da tempestade, ficou uma menina mais fria. A garota que saltava de paraquedas no desconhecido, hoje escreve a mensagem, apaga, escreve de novo, apaga e desiste. É triste porque eu sempre quis não ser assim, e agora eu sou... E há certa paz na frieza. Paz que eu preferia não descobrir. Por isso eu fujo quando a paixão quer me encontrar, porque eu não quero mais que alguém veja meu lado doce, meu lado de menina sonhadora que acredita no amor. Porque dói e é sem sentido. Porque por mais que eu queira arriscar, as lembranças das últimas quedas me fazem lembrar que meus pés não devem mais sair do chão. Com o tempo a gente acostuma. E mesmo tendo nascido pra voar, aqui de dentro da gaiola a gente arranja motivo pra cantar.”


*****



quarta-feira, 18 de maio de 2016

Só por hoje.....



Acordei um pouco cansada... cansada das minhas próprias escolhas!!! Então por hoje não quero escolher absolutamente nada, nada mesmo (açúcar ou adoçante, feijão ou arroz, samba ou rock’n roll, bom dia ou foda-se?).... Nada!!!! E também não quero ser compreendida por isso. Pois querer compreensão é só mais uma obrigação que dá imenso trabalho.... Por hoje, quero o minimo de esforço, e o máximo de solitude... não vou me empenhar para ser amada ou para agradar aos outros, não vou me importar com o que seja dito ou pensado a meu respeito: hoje só me resta existir!!!!


Gisele Mulek

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Circulo do Amor...


A gente colhe o que planta....

Paulo quase não viu a senhora, com o carro parado no acostamento. Chovia forte e já era noite. Percebeu que ela precisava de ajuda. Assim, parou seu carro e se aproximou.

O carro dela era bem novo, e a senhora pensou que pudesse se tratar de um bandido. Paulo percebeu que ela estava com muito medo e disse: -"Eu estou aqui para ajudá-la, senhora. Não se preocupe. Meu nome é Paulo e eu vou trocar seu pneu furado".

Paulo abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo, ele já estava trocando o pneu. Ficou um tanto sujo e machucou, um pouco, uma das mãos.

Enquanto Paulo apertava as porcas da roda, ela abriu a janela e começou a conversar com ele. Contou que era de São Paulo e que só estava de passagem por ali, e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda. 

Paulo apenas sorriu, enquanto se levantava. Ao final, ela perguntou quanto lhe devia. Tinha imaginado tudo de ruim que poderia ter acontecido, se Paulo não tivesse parado e ajudado. 

Paulo não pensava em dinheiro, gostava de ajudar as pessoas. Era seu jeito, seu modo simples de viver. E respondeu-lhe: -"Se quiser me pagar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para esta pessoa a ajuda de que ela precisar, e lembre-se de mim".

Alguns quilômetros depois, a senhora parou em um pequeno restaurante. A garçonete trouxe-lhe uma toalha limpa para secar o cabelo molhado, e lhe dirigiu um sorriso. 

A senhora notou que a garçonete estava quase no final da gravidez, e que isso não mudou seu bom humor. Ficou surpresa com a gentileza de alguém que tinha tão pouco, tratar tão bem a um estranho.

Então, se lembrou do Paulo. Depois que terminou a sua refeição, e enquanto a garçonete buscava troco, a senhora se retirou. Quando a garçonete voltou, queria saber onde a senhora estava, quando notou algo escrito no guardanapo e, sob ele, 5 notas de R$ 100,00.

Lágrimas encheram seus olhos, quando leu o que a senhora escreveu. Dizia: -"Você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou hoje e, da mesma forma, estou ajudando você". Se quiser me reembolsar por este dinheiro, não deixe este círculo de amor terminar com você: ajude alguém.

Naquela noite, quando a garçonete foi para casa e deitou-se na cama, seu marido já estava dormindo. Ela ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixou escrito. Como pôde, aquela senhora, saber o quanto ela e o marido precisavam daquele dinheiro?

Ia ser gasto com coisas para o bebê que estava para nascer no próximo mês. Ficou pensando na bênção que havia recebido. Agradeceu a Deus. Virou-se para o marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo e sussurrou: -"Tudo ficará bem, meu querido Paulo. Eu te amo".


Pense nisso!!

Se esta mensagem tocou seu coração, transmita-a aos seus amigos, cultive o amor e não deixe este círculo morrer. 

A vida é assim, um espelho!
Tudo que você transmite, volta para você!!


Gisele Mulek



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...