.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

domingo, 2 de junho de 2013

Limpando as gavetas do coração


Na correria diária nem sempre temos tempo de manter tudo organizado, tudo no seu devido lugar; mais chega um momento que é impossível se livrar da responsabilidade de algumas arrumações… Coisas que no dia a dia vão ficando esquecidas, acumulando-se nos cantos da casa. Tudo ali reclamando atenção, e um pouco de organização. 

Este final de semana dediquei parte das minhas horas para essa tarefa. Confesso que não é divertida. Não mesmo. Encarar aquela bagunça é algo que fiz por ser absolutamente necessário. Mais é curioso que, enquanto vamos mexendo, tirando do lugar, descobrimos coisas interessantes, outras tantas descartáveis. Algumas estão ali há anos, e sempre justificamos uma razão para permanecerem guardadas. 

E nestes dias ao mexer nos armários e gavetas, consegui jogar fora muito material, coisas antigas, sem valor, até CD’s, DVD’s, livros e revistas foram para o lixo, percebi que estavam apenas ocupando lugar. Não serviam para nada. Nem para mim nem para outras pessoas. Confesso que sobrou ainda um pouco das minhas “tranqueiras” [rs] mas creio que já limpei tudo que precisava ser descartado. 

Depois de toda arrumação, enquanto tomava banho, refletia sobre o que havia feito. Entretanto, pensava noutra perspectiva. Pensava em nossa vida. Nas coisas que guardamos – no coração e fora dele. E que da mesma forma, de vez em quando, se faz necessário de uma “limpa”. 

A vida é maravilhosa, mas nossos dias sem sempre são perfeitos. Há desencontros, perdas, tristezas, e estes sempre deixam marcas. Um relacionamento, por exemplo, tem uma história. De bons e maus momentos. Quando acaba, ficam lembranças. Muitas delas machucam, ferem. Não dá para apagar o que passou. Porém, precisamos nos livrar daquilo que ainda está ali nos fazendo mal. 

É preciso limpar as “gavetas” para não ficar trombando com coisas que alimentam negativamente nossas emoções. Algumas pessoas têm que se livrar, inclusive, de objetos físicos – fotos, presentes, bilhetes, mensagens deixadas no celular etc etc. Se mexem com a memória, é necessário jogar tudo fora. Faz parte da “faxina”. Do contrário, o passado segue presente e esquecer fica ainda mais difícil. 

Não é simples. Dá trabalho. Muito mais que dar conta dessas “bagunça” que se acumula no dia a dia. Porém, é preciso encarar as pilhas de más lembranças que estão guardadas nas gavetas do coração. Olhar também para os objetos físicos. E livrar-se deles. Não dá para ficar lamentando o que deu errado. É fundamental reconhecer que faz parte do passado. Se houve erros, encare-os como um aprendizado, pois não dá para voltar atrás. A vida segue. E os sentimentos ruins devem ser sublimados. As “gavetas” do coração precisam estar limpas, organizadas a fim de que haja espaço para coisas novas. Do contrário, o futuro nunca irá acontecer. 

Portanto, recicle-se, renove-se.. livre-se dos entulhos e deixe coisas novas tomarem conta de você..!!



Pense nisso, um ótimo domingo.!


Gisele Mulek



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...