.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Seguindo em Frente...!


Vou seguindo é aprendendo.. uma hora ou outra o destino se ajeita, as coisas se acertam, o passado é esquecido, as dores cicatrizam. Quem tem que ficar fica, o que é verdadeiro permanece, e o que não é simplesmente some. Não tenho rancor, não guardo mágoas, apenas não quero pouco... quero o que  me faça feliz.. Estou na minha.. aprendendo a ser paciente... a ouvir uma boa música... ler um bom livro.. gastar meu tempo com quem realmente merece... e a ignorar o que me faz mal. E, sobretudo aprendendo a ter fé... Confiança de que, por mais difícil que seja, o universo sempre conspirara a favor daqueles que acreditam que vale a pena viver..


Um ótimo dia,

Gisele Mulek



A Vida é Feita de Coisas Simples



Meu amigos blogueiros, te convido a conhecer minha pagina no Facebook, é só acessar o link abaixo e curtir:


Sempre com belas e edificantes mensagens para você, venha conferir, te  espero lá.!!

Abraço, 


Gisele Mulek


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Surpreenda..!


"Na vida, não tenha medo de demonstrar ser fraco, já que a fraqueza representa a imensa capacidade de amar; e mesmo quando o outro, pelas mais diversas razões esperar pelo seu ódio, surpreenda-o com o seu amor."


*****

A vida é feita de coisas Simples.!


Busque momentos de sorrisos sinceros, beijos molhados, abraços apertados. Procure por aquilo que te faz bem, procure por aquela pessoa que te faz rir, procure ir aquele lugar onde a brisa do mar te renova. Esses momentos fazem um dia valer a pena, uma vida ser vivida. Esses momentos de entusiasmo te refrescam a vida, te faz esquecer dos problemas do dia a dia, dos desamores, das intrigas sem sentido. Refresque a sua vida com vida, aproveite cada segundo. A Vida é Feita de Coisas Simples e é isso o que faz você viver bem...!!


Um ótimo feriado...!!

Gisele Mulek



quarta-feira, 29 de maio de 2013

Do fundo do meu coração...



Há pessoas que nos roubam... tiram nossa paz, nossas esperanças, nossos sonhos... Pessoas que nos machucam e nos deixam dores que doem no fundo da alma... Mais existem pessoas que nos presenteiam.. que nos devolvem a alegria de viver... Pessoas que podem nos curar... Essas que quero por perto...!


Simples assim..!!



Ao som de Adriana Aalcanhotto - Do Fundo do meu Coração

domingo, 26 de maio de 2013

O que sei sobre a felicidade?


O que sei sobre a felicidade? 

O que dela experimentei.!

Ao longo destes anos vividos, muitas vezes eu reconheci que meu corpo estava visitado por uma satisfação diferente. Uma satisfação não brotada de motivos. Uma sensação que nascia sem que eu pudesse conhecer suas causas. 

Era como se a realidade imaterial se hospedasse em meu corpo, criando um estado de harmonia, que assim como vinha também partia. A breve passagem sempre funcionou como um indicativo de que estava no caminho certo. 

Compreendo a felicidade dessa forma. Viver confortável em mim mesmo, e vez ou outra receber a confirmação que me vem pelas sensações. Reconheço minha felicidade escondida em pequenas coisas miúdas. São pequenas interferências que quebram o cotidiano e sua continuidade.

Por um instante, a vida parece parar. O coração descobre um novo jeito de enxergar o sempre visto, o mundo que nunca muda, e nele encontra um motivo para sorrir ainda que a vida ande escassa de alegrias. Custa a gente aprender, mas nem sempre a felicidade estará de braços dados com a alegria. 

A alegria sobrevive de motivos externos. Felicidade não. É mais profunda. Não depende das alegrias para que seja real. É possível ser feliz mesmo quando não estejamos alegres. Em muitos momentos árduos da vida eu permanecia feliz. Por quê? Eu tinha certeza de que estava no lugar certo, fazendo a coisa certa. 

A realização humana, raiz de toda felicidade, consiste em saber-se a pessoa certa no contexto das escolhas feitas. Encontrar conforto ainda que a vida esteja pesada, porque sabemos que estamos onde verdadeiramente deveríamos estar. É o sacrifício salutar. Reconhecer que, mesmo na ausência de alegrias, a felicidade permanece motivando a luta.


*****


sábado, 25 de maio de 2013

O Canto do Vento nos Ciprestes...



"Quando eu morrer, não digas a ninguém que foi por ti.
Cobre o meu corpo frio com um desses lençóis,
que alagámos de beijos quando eram outras horas
nos relógios do mundo e não havia ainda quem soubesse
de nós; e leva-o depois para junto do mar, onde possa
ser apenas mais um poema - como esses que eu escrevia
assim que a madrugada se encostava aos vidros e eu
tinha medo de me deitar só com a tua sombra. Deixa
que nos meus braços pousem então as aves (que, como eu, 
trazem entre as penas a saudades de um verão carregado
de paixões). E planta à minha volta uma fiada de rosas
brancas que chamem pelas abelhas, e um cordão de árvores
que perfurem a noite - porque a morte deve ser clara
como o sal na bainha das ondas, e a cegueira sempre
me assustou (e eu já ceguei de amor, mas não contes 
a ninguém que foi por ti). Quando eu morrer, deixa-me
a ver o mar do alto de um rochedo e não chores, nem
toques com os teus lábios a minha boca fria. E promete-me
que rasgas os meus versos em pedaços tão pequenos 
como pequenos foram sempre os meus ódios; e que depois
os lanças na solidão de um arquipélago e partes sem olhar
para trás nenhuma vez: se alguém os vir de longe brilhando
na poeira, cuidará que são flores que o vento despiu, estrelas
que se escaparam das trevas, pingos de luz, lágrimas de sol,
ou penas de um anjo que perdeu as asas por amor."

O Canto do Vento nos Ciprestes...

Ao som de Sarah McLachlan - Angel 




quarta-feira, 15 de maio de 2013

Não Julgue segundo a Aparência..!!



Malcolm Forbes conta que uma senhora, usando um vestido de algodão já desbotado, e seu marido, trajando um velho terno feito à mão, desceram do trem em Boston, EUA, e se dirigiram timidamente ao escritório do presidente da Universidade Harvard.
Eles vinham de Palo Alto, Califórnia e não haviam marcado entrevista. A secretária, num relance, achou que aqueles dois com aparência de caipiras do interior, nada tinham a fazer em Harvard.

– Queremos falar com o presidente, disse o homem em voz baixa.
– Ele vai estar ocupado o dia todo, respondeu rispidamente a secretária.
– Nós vamos esperar.

A secretária os ignorou por horas a fio, esperando que o casal finalmente desistisse e fosse embora. Mas eles ficaram ali, e a secretária, um tanto frustrada, decidiu incomodar o presidente, embora detestasse fazer isso.

– Se o senhor falar com eles apenas por alguns minutos, talvez resolvam ir embora, disse ela.

O presidente suspirou com irritação, mas concordou. Alguém da sua importância não tinha tempo para atender gente desse tipo, mas ele detestava vestidos desbotados e ternos puídos em seu escritório. Com o rosto fechado, ele foi até o casal.

– Tivemos um filho que estudou em Harvard durante um ano, disse a mulher. Ele amava Harvard e foi muito feliz aqui, mas, um ano atrás ele morreu num acidente e gostaríamos de erigir um monumento em honra a ele em algum lugar do campus.

– Minha senhora, disse rudemente o presidente, não podemos erigir uma estátua para cada pessoa que estudou em Harvard e morreu, se o fizéssemos, este lugar pareceria um cemitério.

– Oh, não, respondeu rapidamente a senhora. Não queremos erigir uma estátua. Gostaríamos de doar um edifício à Harvard. 

O presidente olhou para o vestido desbotado da mulher e para o velho terno do marido, e exclamou:

– Um edifício! Os senhores têm sequer uma pálida idéia de quanto custa um edifício? Temos mais de sete milhões e meio de dólares em prédios aqui em Harvard.

A senhora ficou em silêncio por um momento, e então disse ao marido:

– Se é só isso que custa para fundar uma universidade, por que não termos a nossa própria?

O marido concordou.

O casal Leland Stanford levantou-se e saiu, deixando o presidente confuso. Viajando de volta para Palo Alto, na Califórnia, eles estabeleceram ali a Universidade Stanford, em homenagem a seu filho, ex-aluno da Harvard.



Portanto, Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça. 
João 7:24


Um bom dia,

Gisele Mulek


segunda-feira, 13 de maio de 2013

Mãe..!

Minha Mãe Dona Maria e Eu (Gi Mulek)
Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido, aquele que ela mais amava. E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu: 

Nada é mais volúvel que um coração de mãe. E, como mãe, lhe respondo: o filho predileto, é aquele a quem me dedico de corpo e alma...

É o meu filho doente, até que sare. 
O que partiu, até que volte.
O que está cansado, até que descanse.
O que está com fome, até que se alimente.
O que está com sede, até que beba.
O que estuda, até que aprenda.
O que está com frio, até que se agasalhe.
O que não trabalha, até que se empregue.
O que namora, até que se case.
O que casa, até que conviva.
O que é pai, até que os crie.
O que prometeu, até que se cumpra.
O que deve, até que pague.
O que chora, até que cale.


E já com o semblante bem distante daquele sorriso, completou: 

E o que já me deixou... até que o reencontre...!!


*****


Coração de mãe, o único que ama com singularidade imparcial e da forma mais verdadeira que existe..!

Mãe, te amo..todo dia é seu dia..!!


Gisele Mulek



domingo, 12 de maio de 2013

Florescer...


Penso que a covardia, pelo menos na aparência, é bem mais fácil, bem menos trabalhosa, e, claro, bem mais egoísta; recordo que já estive lá com muito mais frequência. Mas aí, também me recordo do instante em que cada flor começou a brotar, que vieram à tona só porque tive coragem de cuidar da semente; só porque não me acovardei, mesmo que tantas vezes tive o maior medo do mundo.. pois aprendi que justo neste momento, costuma acontecer algo bem bonito.. a coragem floresce.. e a vida recupera sua razão..!!


Gisele Mulek



sexta-feira, 10 de maio de 2013

Um amor...


Um amor pode ser de vários tamanhos, pode ter várias formas, vários pesos, várias medidas. Pode ser profundo ou superficial, maduro ou infantil, longo ou curto, pode passar como um tufão ou como uma brisa de verão. Um amor troca confidências, troca juras, troca feitiço, troca dúvidas e experiências. 


Um amor pode ser forte ou fraco, distraído ou atento, pode vencer tormentas, dissabores e oferecer alento. Um amor pode sobreviver à distâncias e atravessá-las num segundo através do pensamento. Um amor é como um vício, uma droga, desencadeado por uma paixão ardente. 

Um amor produz sorrisos, momentos perfeitos, produz sonhos e insônias, produz palpitações, angústias, agonias e ilusões. Um amor verdadeiro se perde no tempo, caminha pelo passado, atua no presente, se encaminha para o futuro e adormece na eternidade. 

Um grande e verdadeiro amor ilustra noites enluaradas e dias ensolarados. Um amor tem lembranças de lugares, de cheiros, de músicas e de sons. Um amor tem sabores, às vezes doces, outras vezes amargos, mas todos sempre bem saboreados. Um amor pode iluminar a vida ou escurecer o coração. Um amor pode ser impossível, improvável, mas pleno no coração. 

Pode ter testemunhas ou ser oculto e, mesmo assim, ser vivido intensamente. Pode ser clandestino e anônimo, pode ter o nome de uma flor e, ainda assim, ser um grande amor. Um amor pode ser castigado pelas agruras da vida e persistir inalterado e majestoso. 

Um amor de verdade pode jamais se consumar mas ser forte como uma rocha, profundo como o fundo do mar. Um amor pode ser arriscado, difícil, perigoso, inadequado, mas, mesmo assim, almejado e correspondido. Um amor pode sobreviver a intrigas, invejas, calúnias e sair vencedor. 

Um amor de verdade não vê idade, cor, religião, raça ou aparência, não tem preconceitos, nem preceitos, não faz distinções. Um amor não fere e se ferir, assopra. Um amor tem marés, altas e baixas, fracas e fortes. Um amor pode ter muitas histórias, fabricar poemas, inspirar versos e canções. 

Um amor não tem perguntas, porque jamais necessita de respostas. Um amor pode ser contido,travado, reprimido ou declarado. Um verdadeiro amor pode subir montanhas, cair em precipícios, atravessar desertos, envolver-se em tempestades, afundar em oceanos e, ainda assim, sobreviver. 

Um amor comete loucuras, por vezes se arrepende, e volta a cometê-las novamente. Um amor de verdade dá espaço, cede momentos, expõe idéias, lança argumentos, sem jamais violar sentimentos. 

Um amor pode escravizar-se e sentir-se livre. Um amor profundo acontece, resplandece, revigora-se e amadurece. Um amor pode ser eterno ou fugaz, pode ser o primeiro ou o último, novo ou velho... mas sempre ardente. Um amor pode ser sábio, desinteressado, confiante e altruísta. 

Um amor de verdade pode até se perder na poeira do tempo, pode se desfazer através dos anos... mas sua melhor lembrança sempre permanecerá num canto qualquer do coração.. com a certeza de ter sido um amor eterno..!!


****



quarta-feira, 8 de maio de 2013

Vivem Como se Jesus não Fosse Voltar..!!




Por um acaso essa mensagem chegou a mim, e tocou profundamente meu coração. Gostaria de compartilhar, dedique um pouco do seu tempo e escute essa palavra, deixe Deus tocar ao seu coração, e renda-se... Ele virá..!!

Gisele Mulek

terça-feira, 7 de maio de 2013

Desejo-te o suficiente


Há pouco tempo, no aeroporto estava uma mãe e filha despedindo-se. Anunciaram a partida, elas abraçaram-se e disse a mãe: Eu amo-te filha. Desejo-te o suficiente.

A filha respondeu: Mãe, nossa vida juntas tem sido mais do que suficiente. O seu amor é tudo o que sempre precisei. Eu também lhe desejo o suficiente.

Elas beijaram-se e a filha partiu. A mãe passou por mim e encostou-se na parede. Pude ver que ela queria, e precisava, chorar.

Tentei não me intrometer nesse momento, mas ela dirigiu-se a mim, e perguntou: Você já se despediu de alguém sabendo que seria para sempre?

Já, respondi. Minha senhora, desculpe-me pela pergunta, mas por que é que foi um adeus para sempre?

Estou velha e ela vive tão longe daqui. Tenho desafios à minha frente e a verdade é que a próxima viagem dela para cá será para o meu funeral.

Quando se estavam a despedir, ouvi-a dizer "Desejo-te o suficiente". Posso saber o que é que isso significa?

Ela começou a sorrir e disse: É um desejo que tem sido passado de geração em geração na minha família. Meus pais costumavam dizer isso para toda a gente.

Ela parou por um instante e olhou para o alto como se estivesse a tentar lembrar-se dos detalhes e sorriu mais ainda.

Quando dizemos "Desejo-te o suficiente", estamos a desejar uma vida cheia de coisas boas o suficiente para que a pessoa se ampare nelas. Então, virando-se para mim, disse, como se estivesse recitando:

Desejo-lhe sol o suficiente para que continue a ter essa atitude radiante.

Desejo-lhe chuva o suficiente para que possa apreciar mais o sol.

Desejo-lhe felicidade o suficiente para que mantenha o seu espírito alegre.

Desejo-lhe dor o suficiente para que as menores alegrias na vida pareçam muito maiores.

Desejo-lhe que ganhe o suficiente para satisfazer os seus desejos materiais.

Desejo-lhe perdas o suficiente para apreciar tudo que possui.

Desejo-lhe 'olás' em número suficiente para que chegue ao adeus final.

Ela começou então a soluçar e afastou-se.


Fonte: Bíblia Comentada




Dizem que leva um minuto para encontrar uma pessoa especial, uma hora para apreciá-la, um dia para amá-la, mas uma vida inteira para esquecê-la.!


Gisele Mulek


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...