.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

terça-feira, 2 de abril de 2013

Perdão.!


Quando eu era pequena meu pai pregava. Um dia ele disse: "eu vou para o campo missionário" ficamos tão empolgadas quanto ele. Então o papai foi até os anciãos da igreja da nossa denominação e se inscreveu para ser um missionário. Éramos bem pequenininhos e meu pai era um grande líder de igrejas locais, estudado e etc.. Até que os lideres dele disseram: Pastor, enquanto a gente analisa seus papéis e seus documentos, você quer trabalhar como zelador? 

Meu pai era muito humilde, pra ele o que importava era ter o dinheiro para suprir as nossas necessidades, então enquanto os lideres da denominação iam dormir, meu pai limpava os escritórios, o templo e tudo mais. Nunca vi meu pai reclamar. Nunca vi meu pai falar "ah eu não fui graduado para fazer isso" ao contrario ele fez aquilo de forma excelente. Nós íamos sempre ajuda-lo; até que certa vez ele foi perguntar aos lideres: 'Onde estão os meus papéis? Eu fui aprovado para fazer missões? E aí? Como vai ser?'. E eles haviam negado o pedido dele de ir ás missões, 6 meses antes, mas com ele era um ótimo zelador, mantiveram segredo até que ele viesse questionar. Ele ficou tão arrasado, que morreu prematuramente.

Depois disso eu passei a odiar o evangelho. Eu olhava tudo isso com olhar de rejeição, até que Deus me confrontou e falou comigo, dizendo que Ele me chamou para pregar a palavra dele. Os anos se passaram, e então certa vez eu fui levada para pregar naquela mesma cidade que impediu que meu pai viajasse em missões. 

Mas Deus falou comigo, disse que eu não poderia pregar lá, pois estava em pecado. Eu me ofendi com aquilo e perguntei 'Qual é o meu pecado?' e Ele respondeu: 'Você odeia esta cidade, esta igreja e esta denominação'. E Ele estava certo, irmãos! EU ODIAVA MESMO. Não foi nada fácil ouvir aquilo, até que Ele piorou tudo e falou: Eu quero que você suba naquele altar, e confesse o seu pecado. 

Foi quando ao abrir a palavra Ele me deu a seguinte palavra: (Tiago 4:16) "confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para que sejam curados, porque muito pode a oração do justo em seus efeitos". Assim eu fui até lá na frente, me ajoelhei, pedi aos anciãos para virem e disse em alto e bom som no microfone: 'Querido Deus, eu sinto que essa cidade matou o meu paizinho. E é verdade: eu odeio esta cidade, e aquela denominação, mas esta noite, eu quem peço perdão á Ti'.

E naquela noite eu me curei totalmente, e brotou um amor por aquele lugar, por aquela denominação e por aquelas pessoas.



Este testemunho tocou muito meu coração, pois muitas vezes não entendemos certos acontecimentos, nos decepcionamos, desesperamos, desacreditamos, isso porque esquecemos que nenhuma folha cai de uma arvore se Deus não permitir.

Mais se existe algo que precisamos  aprender a fazer é "perdoar", por mais dolorido que seja, a magoa não pode ser abrigada num coração onde Deus habita, pois o perdão é cura, ele revitaliza, trás paz.

Portanto, creia, aquiete-se, ouça Ele falar, pois seja o que for que você esteja passando, Ele sempre tem a melhor resposta.


Deus abençoe seu dia.!!


Gisele Mulek



Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

É muito bom seu blog, a forma como está feito demonstra capacidade e gosto. Minha amiga irmã enquanto lia a sua postagem estava me lembrando do que aconteceu comigo, praticamente foi isso só que eu tinha a chamada para pastorado e pusera-me a fazer o que era preciso na igreja ao ponto do pastor principal me disse: Sei que o seu ministério é a Palavra, mas o irmão só o executa se eu deixar: E sabe o que aconteceu? Não deixou. Mas graças a Deus que Ele limpou todo o ressentimento. Fico feliz por si.
Se desejar pode fazer parte do Peregrino E Servo.
António Batalha.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...