.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Àgua Fresca no Deserto...!!

 
Um homem estava perdido no deserto, prestes a morrer de sede. Eis que ele chegou a uma caba­na velha, desmoronando, sem janelas, sem teto. Andou por ali e encontrou uma pequena sombra onde se acomodou, fu­gindo do calor do sol desértico. Olhando ao redor, viu uma velha bomba de água, bem enferrujada.
 
Ele se arrastou até a bomba, agarrou a manivela e começou a bombear, a bombear, a bombear, sem parar. Nada aconteceu. Desapontado, caiu prostrado, para trás. E notou que ao seu lado havia uma velha garrafa. Olhou-a, limpou-a, removendo a sujeira e o pó, e leu um recado que dizia: "Meu amigo, você precisa primeiro preparar a bomba derramando sobre ela toda a água desta garrafa. Depois faça o favor de encher a garrafa outra vez antes de partir, para o próximo viajante".
 
O homem arrancou a rolha da gar­rafa e, de fato, lá estava a água. A garrafa estava quase cheia de água! De repente, ele se viu num dilema. Se bebesse aquela água, poderia sobreviver. Mas se despe­jasse toda aquela água na velha bomba enferrujada, e ela não funcionasse, mor­reria de sede. Que fazer? Despejar a água na velha bomba e esperar vir a ter água fresca, fria, ou beber a água da velha gar­rafa e desprezar a mensagem?
 
Com relutância, o homem despe­jou toda a água na bomba. Em seguida, agarrou a manivela e começou a bombear... e a bomba e pôs-se a ranger e chiar sem fim. E nada aconteceu! E a bomba foi rangendo e chiando. Então, surgiu um fïozinho de água, depois, um pequeno flu­xo e finalmente, a água jorrou com abundância! Para o alívio do homem a bomba velha fez jorrar água fresca, cristalina.
 
Ele encheu a garrafa e bebeu dela ansiosamente. Encheu-a outra vez e tornou a beber seu conteúdo refrescante. Em seguida, voltou a encher a garrafa para o próximo viajante. Encheu-a até o garga­lo, arrolhou-a e acrescentou uma pequena nota: "Creia-me, funciona! Mas você precisa dar toda a água antes de poder obtê-la de volta".
 
 
Várias lições preciosas podemos extrair desta história. Quantas vezes temos medo de iniciar um novo projeto, pensando nas dificudaldes, nos acomodamos com uma gota sendo que poderiamos ver água jorrar. Tudo porque recomeçar, mudar envolveria mais risco, uma demanda enorme de investimen­to de tempo, recursos, preparo e conhe­cimento. Assim, quantos ficam parados satisfa­zendo-se com pequenos resultados, quan­do poderiam conquistar significativas vi­tórias.
 
E você...? O que falta para despe­jar esta garrafa de água que você guarda e está prestes a beber e conseguir água fresca em abundância de uma nova fonte..?
 
Pense nisso...!!
 
 
Gisele Mulek

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...