.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

"Pátria Madrasta Vil"


"Pátria Madrasta Vil"

Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência. Exagero de escassez. Contraditórios?? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.

Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade. O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de contradições.

Há quem diga que "dos filhos deste solo és mãe gentil", mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil está mais para madrasta vil.

A minha mãe não "tapa o sol com a peneira". Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica. E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. 

Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa.

A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra. Sem nenhuma contradição!

É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!

A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão.

Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura. As classes média e alta - tão confortavelmente situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa). Mas estão elas preparadas para isso?

Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.

Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona?
Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos.

Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente? Ou como bicho?


"Como vencer a pobreza e a desigualdade." - Tema de um concurso realizado pela UNESCO onde concorreu outros 50 mil estudantes universitários; a estudante de direito Clarice Zeitel, de 26 anos, da UFRJ, recebeu o prêmio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.  A redação de Clarice intitulada "Pátria Madrasta Vil" foi incluída num livro, com outros cem textos selecionados no concurso. A publicação está disponível no site da Biblioteca Virtual da Unesco.


****


Gostei muito deste texto, nos faz pensar o que queremos e o que efetivamente estamos fazendo para que algo aconteça. Nestes dias de eleição ouvi muita gente dizer, meu voto é nulo, porque não tem ninguém para votar mesmo, e pergunto porque não tem??

Porque estamos acostumados a engolir o que há, a suportar o que nos impõe  não questionamos, não inquerimos; queremos mudanças, mas nos acomodamos, queremos justiça, mas não buscamos, queremos mais médicos e  mais saúde,  mais segurança, mais educação, mas poucos de nos sequer lembramos em quem votamos em eleições passadas.??

Em fim, apenas para refletir, pois seja em grande escala, ou mesmo em sua vida pessoal, não se acomode, corra atras de seus objetivos, seus direitos, afinal já dizia o sábio "precisamos ser a mudança que queremos ver".

Um ótimo dia para todos.

Gisele Mulek




quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Tudo Bem...



Tudo Bem
Lulu Santos

Já não tenho dedos pra contar
De quantos barrancos despenquei
E quantas pedras me atiraram
Ou quantas atirei
Tanta farpa tanta mentira
Tanta falta do que dizer
Nem sempre é "so easy" se viver

Hoje eu não consigo mais me lembrar
De quantas janelas me atirei
E quanto rastro de incompreensão
Eu já deixei
Tantos bons quanto maus motivos
Tantas vezes desilusão
Quase nunca a vida é um balão

Mas o teu amor me cura
De uma loucura qualquer
É encostar no seu peito
E se isso for algum defeito
Por mim tudo bem, tudo bem


sábado, 20 de outubro de 2012

Mudei....


Sim o tempo passou e eu mudei.. mudei porque amadureci.. cresci, reconheço isso não é para todos; mudei porque passei por tantas e tão diversas experiências, que consegui aprender com meus próprios erros.. mudei porque me decepcionei com amigos,  com amores.. que percebi nem eram tão amigos nem tão amores assim; mudei porque conheci pessoas tão especias que fui capaz de me inspirar por elas e me espelhar nelas para me tornar uma pessoa diferente, talvez uma pessoa melhor.. me reconhecer.. me descobrir.. ser eu mesma; segui em frente tirei a poeira dos pés e o tempo passou, eu mudei e nem tudo e nem todos me acompanharam, mas o importante é que tudo ate aqui valeu a pena... como diz a canção.. se chorei ou se sorri o importante é que emoções eu vivi...!!

Desejo um ótimo sábado a todos..


Gisele Mulek

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Quer saber...


Se quer saber minha opinião, nunca é tarde demais ou, cedo demais pra ser quem quiser ser. Não há limite de tempo. Comece quando você quiser. Você pode mudar ou ficar como está. Não há regras pra esse tipo de coisa. Podemos encarar a vida de forma positiva ou negativa. Espero que você encare de forma positiva. Espero que veja coisas que surpreendam você. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com um ponto de vista diferente. Espero que tenha uma vida na qual se orgulhe, e se você descobrir que não tem… espero que tenha forças pra conseguir começar novamente...

Do filme "O curioso caso de Benjamim Button"

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Adoro flores....


"Adoro flores, apesar de saber que elas têm um ciclo: agradam, alegram, embelezam, murcham, morrem e são jogadas fora. Mais mantém o ambiente bonito por pouco tempo. E nós, perecíveis? Apesar do esforço botoxal, sei não. Somos perecíveis, apodrecemos com o tempo. Tenho pena - muita pena, friso bem - de gente que já nasceu podre. Sigo adorando flores do mesmo jeito que sigo adorando pessoas. Preciso aprender que certas pessoas não merecem destaque na nossa vida, em contrapartida as flores sempre merecerão o melhor lugar na nossa varanda."

-Clarissa Corrêa-

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Quem vence..????


Uma noite, um velho índio contou ao seu neto sobre uma batalha que acontece dentro das pessoas. Ele disse:

Meu filho, a batalha é entre dois lobos dentro de todos nós.

Um é mau: é a raiva, a inveja, o ciúme, a tristeza, o desgosto, a cobiça, a arrogância, a pena de si mesmo, a culpa, o ressentimento, a inferioridade, as mentiras, o orgulho falso, a superioridade e o ego.

O outro é bom: é a alegria, a paz, a esperança, a serenidade, a humildade, a bondade, a benevolência, a empatia, a generosidade, a verdade, a compaixão e a fé.

O neto pensou naquilo por alguns minutos e perguntou ao seu avô:
- Qual o lobo que vence?

O velho simplesmente respondeu:
- O que você mais alimenta.


Pense nisso!! 


Um ótimo dia pra você!


Gisele Mulek

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Provérbios 6:5


"Livra-te, como a gazela, da mão do caçador e, como a ave, da mão do passarinheiro." - Provérbios 6:5


Se a presa soubesse que o caçador quer agarrá-la, nunca seria caçada. Se a ave percebesse que o passarinheiro quer prendê-la, fugiria para longe. Mas a arma do caçador é a astúcia. Com sutileza, aproxima-se. Chega perto sorrateiramente, e quando a vítima percebe o perigo, já é tarde. A liberdade acabou e, muitas vezes, perde-se a própria vida.

“Livra-te!”, esse é o conselho desse provérbio. Há muitos passarinheiros espreitando a sua vida. São pequenos hábitos que se transformam em vícios, pensamentos negativos que viram ações, sentimentos doentios que se traduzem em atos e que acabam destruindo os valores, ideais e sonhos. Se você pudesse identificá-los à primeira vista, certamente fugiria. Mas se você se aproximar sem a devida advertência, não os verá como ameaça. 

Chegam, ocupam um lugar na sua mente, acomodam-se em seu coração, aderem-se ao seu corpo e sugam lentamente o que de mais precioso você tem. Quando você acorda, já é tarde e tudo está destruído. Perdeu a liberdade. Não é mais dono da própria vida. É um escravo de sentimentos, circunstâncias e situações irreversíveis.

Nenhuma empresa entra em falência da noite para o dia; nenhum casamento se destrói no lapso de uma semana; nenhum câncer aparece em poucos dias. Você não vê os tumores, mas percebe os sintomas. São detalhes diários que vão se acumulando. Palavras, gestos aparentemente inocentes, que você ignora, propositadamente ou não. Dificilmente alguém cai num grande buraco, porque consegue vê-lo e desviar dele, mais os pequenos, as vezes imperceptíveis, causam muitos estragos.

Por isso ainda hoje não perca a oportunidade de revisar suas intenções, palavras, pensamentos e sentimentos. Hoje, ainda há tempo para pedir perdão, para reconhecer que errou, para dizer: “Eu te amo.” Hoje, você ainda não perdeu a liberdade. Pode decidir para o bem ou para o mal. Por que não escolher o caminho do bem, da humildade, da renúncia e do amor? Amanhã pode ser tarde demais. Por isso, não saia para encarar os desafios da vida sem se lembrar desse conselho, "livra-te" do que te faz presa fácil, do que te toma a liberdade de viver.

Meditação baseada nos textos de Janelas para a Vida de Alejandro Bullón


Desejo uma ótima pra você..!!

Gisele Mulek


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...