.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

terça-feira, 10 de julho de 2012

Arrumação...!!


Puxa vida..!! Quase um mês e não consegui publicar nenhum post novo. Compromissos, correrias, preguiça sei lá.. falta de inspiração talvez, acho mesmo que um pouco de tudo isso tem tomado conta de mim, fazendo-me criar "desculpas" e adiar o que tenho que fazer.

Bem, mais o assunto que resolvi escrever hoje se torna oportuno a isso, o texto abaixo não me deu muito "trabalho" para escrever, na verdade foram falas em meio a uma conversa com uma amiga, que me fez pensar o outro lado dessa rotina, o assunto é interessante, fala de "arrumação" diz algo mais ou menos assim....

“... aqui em casa está um pouco sujo e bagunçado, roupas e calçados estão fora do lugar, roupas para lavar e passar, banheiro para limpar, poeira para tirar dos móveis, etc.. etc.. sempre temos um dia na semana que separamos para dar uma geral na casa e, para mim, hoje é esse dia.. não pode ficar pra amanhã se não a coisa fica pior...”

Ao falar sobre esse cotidiano da minha vidinha de dona de casa, veio à minha mente um paralelo: tenho de parar para “arrumar a minha casa”, caso contrário a coisa fica feia, podemos ate ir adiando por um tempo, mais chega o dia que declaramos: a "arrumação" tem de acontecer hoje, pois já não se suporta mais ver as coisas “fora do lugar”.

Alguns pensamentos surgiram em minha mente, primeiro que esse “fora do lugar” é relativo, sabe por quê? Porque só eu sei o que é preciso arrumar na “casa”: o que limpar, onde limpar, ou até mudar os móveis de lugar. Talvez para uma outra pessoa a minha casa esteja arrumada, talvez ela não veja necessidade de arrumação.

Por isso tudo depende do dono da casa, afinal cada um conhece a mobília que tem: foi na loja, escolheu a mobília, pagou por ela, levou para casa e organizou da maneira que achou melhor. Mais com o tempo, os móveis no mesmo lugar começam a incomodar, e então mudamos de posição, inutilizamos alguns, vendemos outros, ou simplesmente nos desfazemos de alguma coisa que não tem mais funcionalidade dentro da nossa casa.

É mais ou menos assim: damos ou vendemos mobílias velhas todas as vezes que queremos mudar alguma coisa dentro de casa. Aliás, a questão não é nem se a coisa está velha ou não, desgastada pelos anos ou por estar à exposição do sol e da chuva. A questão é: damos e vendemos aquilo que não nos serve mais, com o pensamento de que temos de deixar a casa mais confortável, esse é o objetivo final.

Outro fator curioso que, durante a arrumação, sempre aparece alguém “mais experiente” para dar alguns conselhos. Hum.. Acho que aquele móvel ficaria melhor no canto de lá; Esta vendo aquela cadeira, porque você não joga fora? Você precisa mesmo arrumar isso? E assim são muitos os "conselheiros" que aparecem na hora da arrumação, mas nenhum deles se aventuram a "pegar no pesado" e dificilmente se importam com o verdadeiro significado dessa arrumação particular.

Assim o tempo de arrumação é um tempo precioso, bom e proveitoso. Ao olhar para minha casa, faço uma retrospectiva dos momentos bons e ruins, permito-me chorar e sorrir, percebo meus acertos e vejo claramente meus erros, isso não para punir a mim mesma, mais para poder tirar proveito e aprendizado do que passou, e assim poder agir de forma mais coerente no que esta por vir.

Afinal de tempo em tempo uma arrumação sempre se faz necessária, pode ser que ainda tenha mobília para trocar, mudar ou simplesmente tirar o pó, mais hoje de uma coisa eu sei: ninguém fará a "arrumação" por mim. Por isso, insisto em pedir o favor (imerecido) de Deus, pois em meio às incertezas que me acompanha no dia-a-dia, e seja o que for que ainda me aconteça, me esforçarei para sempre estar nas mãos dAquele que é fiel seja qual for o resultado de minha arrumação.

Pois ainda prefiro o juízo de Deus, do que o julgamento baseado na doutrina humana, que é severa e exala um mal cheiro de perversidade e interesses próprios, pois ninguém conhece nosso coração como Ele, ninguém sabe de nossas fraquezas nem tão pouco daquilo que realmente nos faz feliz, por isso estar em Deus é o que faz meu coração caminhar tranqüilo.


Uma ótima semana pra você!


Gisele Mulek


Um comentário:

Sempre, sim. nunca jamais. disse...

O doce do conhecimento adquirido pela troca de sustância e entre ver ou não de muitas coisas que não em ordem ou desordem deixamos para traz, mas agora sim em um nível qualquer de um tempo aproveitado, por não ter muito a o que recorrer, por foçado pelo fato, que grita mais que todas as possibilidades de poder agir, pois depois de uma pequena cirurgia necessária posso, mesmo não podendo viajar entre todo o espaço possível de muitos que não guarda o poder do conhecimento, mas vive pela linha de aprender constantemente, gostaria de ser autônomo por completo e como um ser não percebido está no misterioso constantemente e descobrir muitos segredos, por fim nem mesmo para saber o por que quero tamanha dádiva....Mas de tempo em tempo vindo aqui no seu espaço muito agradável, saber um pouquinho de um lugar que não fui, de alguém que tem muito, e está sempre buscando saber de uma maneira agradável, alcançar mais e mais, não são elogios, mesmo parecendo ser, apenas um ser que quer deixar um risco como sinal que esteve sim, em parte de um lugar bom, de um ser que faz parte do melhor da existência, pois busca de maneira nítida apresentar o mundo como realmente aprecio ver, cheio de cores e bem organizado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...