.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

domingo, 30 de outubro de 2011

Você...


Você é o meu eixo segura os meus desequilíbrios...

Você é a minha paz nos meus tormentos...

Você é a minha luz na minha caminhada...

Você é a minha esperança nas desilusões...

Você é a minha cura para a minha doença chamada solidão...


Você é o meu anjo me protege me segura...


Você é o meu tudo nesse nada que sou eu...


Você é a minha alma gêmea...

Você minha metade... meu complemento...

Simplesmente você..!!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Para onde vão nossos desejos?


Para onde vão quando nada parece fazer sentido? Para onde vão quando a vida se perde numa curva da estrada? Para onde vão quando tudo que sempre se desejou simplesmente desaparece como num passe de mágica? Onde encontrar forças? Onde encontrar motivos se as razões para sorrir esvaziaram-se?

Não há respostas. Perdemo-nos. Todos nós. A vida prega peças que surpreendem. Ninguém controla tudo. Muito menos, sentimentos e emoções.

Dia desses gravei uma entrevista sobre a importância de sermos educados para lidar com as emoções. O papo foi empolgante. Afinal, vivemos um tempo em que cuidamos muito do intelecto, mas damos pouca atenção ao que sentimos. Entretanto, embora a conversa tenha revelado a importância de reconhecermos aquilo que sentimos, cheguei à conclusão que ninguém aprende ou domina completamente o que vai no coração.

Você não chega e diz pro coração: - Não fique triste!

Já tentou? Deu certo?

Pois bem… se deu certo, venda a receita. Isso mesmo, venda!

Queremos superar as perdas. Quem gosta da dor é masoquista. Doente da cabeça. Gente “normal” quer sentir-se bem.

São nossos desejos que nos movem. Desejos entendidos como a pulsão de nossa vida. E esta se faz presente na vontade de trabalhar, estudar, ler um livro, amar… viver. A busca e a realização dos desejos fazem a alma bailar.

Entretanto, por vezes, parecem nos abandonar. E nos deixam quase sempre por situações aparentemente corriqueiras, mas que nunca serão facilmente assimiladas. Pode ser a perda de alguém querido, a briga com um amigo, os desencontros no amor… E aí você olha dos lados e nada faz sentido. Olha para dentro de si e só encontra vazio. Nenhuma resposta. Só perguntas.

Quando isso acontece, ah… você pode ouvir o que for, qualquer palavra, mas nada consola. Não tem abraço, não tem carinho, não tem sorriso… nada. Nada conforta.

Seria carência? Fragilidade emocional? Talvez. Talvez sim. Mas, confesso que tenho medo de pessoas que não sentem dor, que lidam de maneira completamente prática com os sentimentos. Para mim, que vive assim, não vive. Viver e não sentir, não é viver.

As dores da alma são por vezes muito piores que as do corpo. Estas se curam com remédios, cirurgias… tratamentos que a ciência proporciona. As do coração… só o tempo. E às vezes, nem o tempo. Até cicatriza, mas as marcas ficam.

Uma vida bem vivida é uma vida de ganhos e perdas. De desejos adquiridos, de desejos esvaziados. De motivos novos, de motivos velhos e abandonados – por escolhas que nem sempre são nossas.

Viver bem é reconhecer que há dias em que simplesmente não desejamos existir. Sabendo, no entanto, que sempre haverá um novo dia…

Por, Ronaldo Nezo

Fonte:http://blogdoronaldo.wordpress.com/2011/10/26/para-onde-vao-nossos-desejos/



sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Ontem chorei...


... Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei.

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Eu te Amo!


"Com amor eterno te amei, também com benignidade te atraí." (Jeremias 31.3)

O título desta página fica bem para um apaixonado. Também fica bem para pais e filhos. Sou pai de cinco filhos. Três filhos casaram-se com moças talentosas. As duas filhas casaram-se com homens que se têm mostrado excelentes cavalheiros.

Tanto eu como a minha querida esposa amamos os nossos filhos e suas famílias. Eles nos falam ou escrevem: "amamos vocês." O nosso relacionamento tem sido muito gratificante. Por que será? Simplesmente porque, como pais, achamos os nossos filhos, noras, genros e netos muito lindos e queridos. Nós os amamos.

Nossa relação é muito boa e as declarações de amor e carinho são reais. Mas como fica esta declaração "Eu te amo", partindo de Deus? Entre namorados a razão é que a gente se vê. O mesmo ocorre no relacionamento familiar. A gente se vê. Deus, também nos vê.

E o que Deus vê em nós, criaturas humanas carregadas de vaidade, de orgulho e de falsidade? A Bíblia mesmo nos afirma que não há justo, nenhum sequer. Todos estamos enlameados pelo pecado. E o pecado é uma força tremendamente destruidora para a mente.O pecado corrompe a tal ponto que muitos duvidam que Deus nos ame.

Entretanto, a Bíblia afirma repetidas vezes que Deus nos ama. Basta ver o que ele nos diz pelo profeta Jeremias, no versículo de hoje. Amigo, Deus nos conhece. Ele nos vê. Ele sabe que não temos em nós nem méritos e nem condições para nos erguermos sozinhos da nossa queda.

E porque é verdade que Ele nos ama, Ele vem ao nosso encontro por meio de Jesus, seu Filho amado. Cabe a nós reconhecer o nosso estado de perdidos e voltarmo-nos humildemente a Cristo. Nele temos o perdão de que necessitamos. E então podemos afirmar com o apóstolo João: "Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro."

Fonte: www.bibliafacil.com.br




Devemos confiar em todos os momentos no amor de Deus por nós. Fixar o nosso olhar em Jesus, porque d’Ele brota a força para continuarmos a caminhada, mesmo em meio aos desencontros e às adversidades que a vida nos propõe. O amor de Cristo é o que nos impulsiona, nos encoraja, e nos faz avançar, e assim realizar nossos sonhos e nossa missão com êxito, devemos ter verdadeiramente a nossa confiança na força que vem do Senhor.

O amor se dobra, para não se romper!!

Uma ótima semana a todos.

Gisele Mulek

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Saudade


Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,

mas o amado já...


Saudade é amar um passado que ainda não passou,

é recusar um presente que nos machuca,

é não ver o futuro que nos convida...


Saudade é sentir que existe o que não existe mais...


Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...


Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:

aquela que nunca amou.


Pablo Neruda


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Criança...!!


Já fui sonho... projeto... feto...
Hoje, sou como o raiar de um novo dia,
O brotar de uma semente,
O desabrochar de uma flor!

Sou como uma doce melodia,
Com autor e partitura,
Só preciso que me 'toquem' com ternura,
Para que eu possa ser gente!

Do bem, quero ser sempre contexto,
Não nasci para ser avesso!
Sou portador do sol,
Trago luz, alegria e esperança!

Afinal sou criança,
Imagem e semelhança de nosso Senhor!


Feliz dia das Crianças..!!

Para todos os pequeninos... e aos grandes que sabem o valor de tornarem-se pequenos!!

Gisele Mulek

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...