.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

sábado, 25 de junho de 2011

O poder de um pequeno gesto....


Um dia, quando eu era calouro na escola, vi um garoto de minha sala caminhando para casa depois da aula. Seu nome era Kyle. Parecia que ele estava carregando todos os seus livros.

Eu pensei: 'Por que alguém iria levar para casa todos os seus livros numa Sexta-Feira? Ele deve ser mesmo um C.D.F'! O meu final de semana estava planejado (festas e um jogo de futebol com meus amigos Sábado à tarde), então dei de ombros e segui o meu caminho..

Conforme ia caminhando, vi um grupo de garotos correndo em direção a Kyle. Eles o atropelaram, arrancando todos os livros de seus braços, empurrando-o de forma que ele caiu no chão. Seus óculos voaram e eu os vi aterrissarem na grama há alguns metros de onde ele estava. Kyle ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza em seus olhos.

Meu coração penalizou-se! Corri até o colega, enquanto ele engatinhava procurando por seus óculos. Pude ver uma lágrima em seus olhos. Enquanto eu lhe entregava os óculos, disse: 'Aqueles caras são uns idiotas! Eles realmente deviam arrumar uma vida própria'. Kyle olhou-me nos olhos e disse: 'Hei, obrigado'!

Havia um grande sorriso em sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu o ajudei a apanhar seus livros e perguntei onde ele morava. Por coincidência ele morava perto da minha casa, mas não havíamos nos visto antes, porque ele freqüentava uma escola particular.

Conversamos por todo o caminho de volta para casa e eu carreguei seus livros. Ele se revelou um garoto bem legal. Perguntei se ele queria jogar futebol no sábado comigo e meus amigos. Ele disse que sim. Ficamos juntos por todo o final de semana e quanto mais eu conhecia Kyle, mais gostava dele.

Meus amigos pensavam da mesma forma. Chegou a Segunda-Feira e lá estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez! Eu o parei e disse: 'Diabos, rapaz, você vai ficar realmente musculoso carregando essa pilha de livros assim todos os dias!'.

Ele simplesmente riu e me entregou metade dos livros. Nos quatro anos seguintes, Kyle e eu nos tornamos mais amigos, mais unidos. Quando estávamos nos formando começamos a pensar em Faculdade.

Kyle decidiu ir para Georgetown e eu para a Duke. Eu sabia que seríamos sempre amigos, que a distância nunca seria problema. Ele seria médico e eu ia tentar uma bolsa escolar no time de futebol. Kyle era o orador oficial de nossa turma. Eu o provocava o tempo todo sobre ele ser um C.D.F.

Ele teve que preparar um discurso de formatura, e eu estava super contente por não ser eu quem deveria subir no palanque e discursar. No dia da Formatura Kyle estava ótimo. Era um daqueles caras que realmente se encontram durante a escola. Estava mais encorpado e realmente tinha uma boa aparência, mesmo usando óculos.

Ele saía com mais garotas do que eu e todas as meninas o adoravam! Às vezes eu até ficava com inveja. Hoje era um daqueles dias. Eu podia ver o quanto ele estava nervoso sobre o discurso. Então, dei-lhe um tapinha nas costas e disse: ‘Ei, garotão, você vai se sair bem!'

Ele olhou para mim com aquele olhar de gratidão, sorriu e disse: -'Valeu'!

Quando ele subiu no oratório, limpou a garganta e começou o discurso: 'A Formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos duros. Seus pais, professores, irmãos, talvez até um treinador, mas principalmente aos seus amigos. Eu estou aqui para lhes dizer que ser um amigo para alguém, é o melhor presente que você pode lhes dar. Vou contar-lhes uma história:'

Eu olhei para o meu amigo sem conseguir acreditar enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos. Ele havia planejado se matar naquele final de semana! Contou a todos como havia esvaziado seu armário na escola, para que sua Mãe não tivesse que fazer isso depois que ele morresse e estava levando todas as suas coisas para casa.

Ele olhou diretamente nos meus olhos e deu um pequeno sorriso. 'Felizmente, meu amigo me salvou de fazer algo inominável!' Eu observava o nó na garganta de todos na platéia enquanto aquele rapaz popular e bonito contava a todos sobre aquele seu momento de fraqueza. Vi sua mãe e seu pai olhando para mim e sorrindo com a mesma gratidão.

Até aquele momento eu jamais havia me dado conta da profundidade do sorriso que ele me deu naquele dia.



Nunca subestime o poder de suas ações. Com um pequeno gesto você pode mudar a vida de uma pessoa. Para melhor ou para pior.

Deus nos coloca, uns na vida dos outros, para que tenhamos um impacto positivo, seja de qual forma aconteça.

Então procure o bem nos outros, não perca seu tempo apontando falhas, ao invés disso, mostre ao próximo o quanto ele tem valor, o quanto ele é importante, a recompensa pode ser apenas um sorriso de gratidão, mais isso, não tem preço!!


Desejo um ótimo final de semana!!

Em Cristo, quem nos ensinou a amar o próximo como a nos mesmos!!


Gisele Mulek

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Você Ainda Não Viu o Meu Fim




Você Ainda Não Viu o Meu Fim

Sentindo-me derrotada

Quase não aguentando

Mas há alguma coisa tão forte

Algo dentro de mim

É eu estou no chão

Mas eu vou levantar de novo

Não conte com a minha derrota ainda


Eu fui obrigada a ficar de joelhos

E estou sendo empurrada ao meu limite

Mais eu posso suportar

Eu voltarei
a ficar de pé
Isto está longe do fim

Você Ainda Não Viu O Meu Fim


Eles podem dizer que
eu não voltarei
Mas eu estarei de pé

Você não vai me parar

Você não me conhece

Você não sabe quem eu sou

Não conte com a minha derrota ainda


Não haverá rebaixamento
Isso não é o fim

Eu posso até cair agora

Mas eu vou me erguer de novo

Tempos estão difíceis mas

E vou perseverar

Eu vou mostrar a todos do que eu sou feita


Eu fui obrigada a ficar de joelhos

E estou sendo empurrada ao meu limite

E eu posso suportar

E voltarei
a ficar de pé
Isto está longe do fim

Eu estou longe do fim

Você ainda não viu o meu fim


Não,não

Eu não vou a lugar nenhum

Eu ficarei bem aqui
, bem aqui
Você não vai me mandar embora

Eu não estou falando

Você não pode me parar
, não é o fim
Você ainda não viu o meu fim



terça-feira, 21 de junho de 2011

Meu Senhor...


...Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes
e a não dizer
mentiras para ganhar o aplauso dos débeis.
Se me dás fortuna, não me tires a razão.

Se me dás êxito, não me tires a
humildade.
Se me dás humildade, não me tires
a dignidade.
Ajuda-me sempre a ver a outra
face da medalha,
não me deixes culpar de traição

a outrem por não pensar
como eu.
Ensina-me a querer aos outros
como a mi mesmo.
Não me deixes cair
no orgulho se triunfo,
nem no desespero se fracasso.

É a experiência que precede
o triunfo.
Ensina-me que perdoar
é um sinal de grandeza
e que a vingança é um sinal de baixeza.

Se me tiras o êxito, deixa-me

forças para aprender com o fracasso.

Se eu ofender a alguém,

dá-me energia para pedir desculpa
s
e se alguém me ofender,

dá-me energia para perdoar

Senhor...se eu me esquecer de ti,

nunca te esqueças de mim!


Essa é uma oração atribuída a
Mahatma Gandhi… E não importa que ideologia ou posição siga.. todos coincidimos em algo.. Queremos Paz...!!


domingo, 19 de junho de 2011

As Mãos de Minha Avó...!!


A minha avó que tinha mais de 90 anos, estava sentada num banco na varanda, e tinha um aspeto fraco. Ela não se mexia, estava apenas sentada a fixar seu olhar nas mãos. Quando me sentei ao pé dela, nem sequer se mexeu, não teve nenhuma reação.

Eu não a queria perturbar, mas ao fim de um certo tempo perguntei-lhe se estava bem. Ela levantou a cabeça e sorriu para mim.


- Sim, eu estou bem, não te preocupes, respondeu ela com uma voz forte e clara.


- Eu não a queria incomodar, mas você estava aí com o olhar fixado nas suas mãos, e eu apenas pretendi saber se estava tudo bem consigo.


- Já alguma vez viste bem as tuas mãos ? perguntou-me ela. Quer dizer, vê-las como deve de ser?


Então eu olhei para as minhas mãos e fixei-as. Sem compreender bem o que ela
queria dizer, respondi que não, nunca tinha olhado bem para as minhas mãos.

A minha avó sorriu para mim e contou-me o seguinte: Pára um bocadinho e pensa bem como as tuas mãos te têm servido desde a tua nascença.


As minhas mãos cheias de rugas, secas e fracas, foram as ferramentas que eu utilizei para abraçar a vida. Elas permitiram agarrar-me a qualquer coisa para evitar que eu caísse, antes que eu aprendesse a andar. Elas levaram a comida à minha boca e vestiram-me. Quando era criança a minha mãe mostrou-me como uni-las para rezar.


Elas ataram as minhas botas e meus sapatos. Elas tocaram no meu marido e enxugaram as minhas lágrimas quando ele foi para a guerra. Elas já estiveram sujas, cortadas, enrugadas e inchadas. Elas não tiveram jeito nenhum quando tentei segurar o meu primeiro filho.


Decoradas com a aliança de casamento, elas mostraram ao mundo que eu amava
alguém único e especial. Elas escreveram cartas ao teu avô, e tremeram quando ele foi enterrado. Elas seguraram os meus filhos, depois os meus netos. Consolaram os vizinhos e também tremeram de raiva quando havia alguma coisa que eu não compreendia.

Elas cobriram o meu rosto, pentearam os meus cabelos e lavaram o meu corpo. Elas já estiveram pegajosas, úmidas, secas e com rugas. Hoje, como nada funciona como dantes para mim, elas continuam a amparar-me e, eu ainda as uno para orar.


Estas mãos contêm a história da minha vida. Mas, o mais importante, é que serão estas mesmas mãos que um dia, Deus segurará para me levar com Ele para o seu Paraíso. Com elas, Ele me colocará a Seu lado. E lá, eu poderei utilisá-las para tocar na face de Cristo.


Pensativo eu olhava para as minhas mãos. Nunca mais as verei da mesma maneira. Mais tarde Deus estendeu as Suas mãos e levou a minha avó para Ele.


Quando eu me machuco nas mãos, quando elas são sensíveis, quando acarinho os meus filhos, ou a minha esposa, penso sempre na minha avó. Apesar da sua idade avançada, ainda teve inteligência suficiente para me fazer compreender o valor das minhas mãos!..


Obrigado DEUS, pelas minhas Mãos!..



*Texto com tradução e adaptação de Faustino Rosário




Em Cristo.. que teve suas mãos pregadas ao madeiro.. para libertar as nossas!!


Uma ótima semana.



Gisele Mulek



sábado, 18 de junho de 2011

Centenário das Assembléias de Deus



O Berço em Belém

Na virada do século XX, surge em várias partes do mundo o movimento denominado pentecostal, que difundia uma renovação dos moldes pregados pelas igrejas tradicionais, por meio do batismo com o Espírito Santo.


Contagiados por esta doutrina, os jovens missionários suecos residentes nos Estados Unidos, Daniel Berg e Gunnar Vingren, receberam como missão pregar o evangelho em uma terra distante e desconhecida, chamada Pará. Foi então que partiram rumo a Belém, onde desembarcaram no dia 19 de novembro de 1910.


Inicialmente, integraram-se à Primeira Igreja Batista do Pará, localizada na Rua João Balbi. Porém, sentiram a necessidade de tomar um novo rumo.


A Missão


Desvinculado da Igreja Batista, o pequeno grupo pioneiro liderado pelos missionários ficou sem lugar para se reunir. Foi então que o casal Henrique e Celina Albuquerque ofereceu a ala de sua casa, na Rua Siqueira Mendes, para o início de uma das maiores obras pentecostais do último século.


Assim, no dia 18 de junho de 1911, na sala do casal Albuquerque, surgiu uma nova igreja, inicialmente chamada Missão da Fé Apostólica. Somente após sete anos de sua fundação, recebeu a denominação de Assembleia de Deus.


O Templo


As reuniões na Rua Siqueira Mendes duraram cerca de três meses. Depois, para facilitar o acesso, a igreja mudou-se para a residência de José Batista de Carvalho, na rua São Jerônimo (atual Avenida Governador José Malcher).


Em 8 de novembro de 1914, os membros passaram a se reunir em seu primeiro templo livre, situado na Travessa Nove de Janeiro. Ali ficaram até 30 de outubro de 1926, quando o pastor Samuel Nyström transferiu a sede da igreja para a Travessa 14 de Março, antigo nº 759. Nesse mesmo local, o pastor Firmino Gouveia inaugurou o atual Templo Central da Assembleia de Deus em Belém no dia 23 de abril de 1988.


Fé sem Fronteiras


Paralelamente à obra desenvolvida em Belém, a igreja caminhava a passos largos para a sua expansão, com cultos públicos em vários lugares, orações pelos enfermos e batismos com o Espírito Santo. A ilha do Marajó, onde os missionários estiveram apenas um mês após o desembarque em Belém, transformou-se em um dos mais ricos berços do movimento Pentecostal Brasileiro.


Começando pelos municípios arredores, o evangelho pentecostal espalhou-se por todo o Estado do Pará. Assim, enquanto Gunnar Vingren cuidava da igreja em Belém, Daniel Berg e um grupo que se formava saiu espalhando a mensagem por lugares como Bragança, Vigia, Timboteua, São Luís do Pará, Capanema, Quatipuru, Bonito, Primavera e Tauari.


O crescimento fenomenal da Assembleia de Deus está ligado diretamente ao trabalho dos leigos. Desde o início, a igreja valorizou o trabalho dos membros. Isso levou a mensagem pentecostal para os lares, praças e ruas e fez a igreja entrar nas prisões, hospitais e prédios públicos. Cada fiel da igreja tornou-se um evangelista. Não demorou muito para alguns desses homens e mulheres cruzassem as fronteiras do Pará.


Os resultados deram à igreja pentecostal a dimensão que hoje vemos. O rápido crescimento exigiu novos líderes e norteou a expansão da nova igreja.


Comemorações Inesquecíveis


A cada ano, a Assembleia de Deus em Belém, comemora sua existência com uma grande festa no Pará e no Brasil. Algumas festas foram marcantes, como o Jubileu de Ouro, em 1961, quando a igreja comemorou meio século de existência. Na ocasião, estiveram presentes o missionário fundador Daniel Berg e o missionário Ivar Vingren, filho do missionário Gunnar Vingren, já falecido na época. A festa do Jubileu não foi apenas local. Em diversas cidades brasileiras, essa data histórica foi igualmente festejada. Nesse período, os pentecostais brasileiros eram estimados em cerca de um milhão de pessoas.


Já em 2001, a igreja celebrou seus 90 anos de bem sucedida história. As comemorações oficiais começaram com uma marcha (com aproximadamente 100 mil pessoas) pela cidade de Belém.


http://200.164.110.141/assembleia_centenario_site/?q=100-anos-de-hist%C3%B3ria



Eu também faço parte!!


Gisele Mulek



domingo, 12 de junho de 2011

Sem barganha....


Uma garotinha que iria completar os seus cinco aninhos de vida foi questionada sobre o que aconteceria se as amiguinhas dela fossem à festa de aniversário, mas esquecessem de levar o presente. Ela prontamente respondeu: "eu nunca mais as convidaria para a minha festa".

Crianças na sua essência geralmente são sinceras e diz o que pensa ou aquilo que lhe foi ensinado. No quesito "barganha", talvez aquela menina esteja de parabéns! Sabe como negociar - mesmo que de maneira astuta - e, desde pequena, já exerce o "toma-lá-dá-cá" tão comum no mundo adulto.


Mais isso me fez pensar, como somos todos tendenciosos à barganha e por isso, muitas vezes, encontramos dificuldades para aceitar certos favores. Alguns desses "favores" são benefícios que nunca conseguiremos pagar, mas mesmo assim, insistimos em promover algo que possa aliviar a consciência do débito.


Favor significa "graça" ou "serviço prestado sem intuito de receber algum retorno" - em outras palavras, o favorecido não tem que pagar e o agraciador não têm que cobrar, mais mesmo sabendo disso, fazemos o possível até conseguir pagar, ao menos alguns favores.


Pois pensamos: Ora, mas não seria muita ingratidão deixar de retribuir a um favor? Depende. Se o coração do agraciador segue a lei do "toma-lá-dá-cá", o favorecido poderá agradecê-lo até com a própria vida que ainda assim o agraciador não se sentirá satisfeito, a ponto de perseguir o favorecido pelo resto da vida cobrando algo.


Por outro lado, se o coração do favorecido segue a lei de "levar vantagem em tudo", ele nunca reconhecerá o favor recebido, pensando ainda que os outros deveriam sempre estar fazendo algo a mais por ele.


Sendo assim, a gratidão não é algo que se produz pelo TER, mas sim pelo SER. É algo natural, espontâneo e sem regras.


O pior é que os viciados na barganha colocam em xeque-mate até mesmo a Graça de Deus, a qual ninguém poderá pagar com dinheiro nem com os muitos (e intermináveis) sacrifícios que tentam fazer para aliviar a consciência do peso da retribuição. Nessa hora, a mente entra em crise, afinal Deus não trabalha com a barganha, Ele gratuitamente libera perdão, amor, misericórdia, a todos aqueles que se aproxima dEle.


Assim, diferentemente daquela garotinha de cinco anos, Deus quer que você participe sempre da festa com ou sem presente. Os que querem levar presentes que levem, porém não venham pensando que receberão destaque entre os demais... nem mesmo pensem em cobrar a mesma atitude daqueles que, porventura, não puderam comprar ou esqueceram do presente.


Por outro lado, aqueles que, por um acaso, não têm presente para levar que não se sintam constrangidos. Vá à festa! Brinque se alegre, pule nos braços do Pai. Ele nunca deixará de nos convidar para as "próximas festas". Pois, melhor é esforçar-se para ficar livre da barganha, crendo essencialmente no conselho que Deus deixou ao apóstolo Paulo: "A minha GRAÇA te basta.” II Coríntios 12:9



Um ótima semana!!


Em
Cristo, onde superabundou a graça!!


Gisele Mulek



sábado, 11 de junho de 2011

Ressuscita-me...!!!




Tu És a própria vida, a força que há em mim..
Tu És o filho de Deus, que me ergue pra vencer...

Senhor de tudo em mim..!!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Livre...


Ela era uma garota comum e, como geralmente nada muito especial acontecia em sua vida, sonhava acordada a maior parte do dia... na escola, no carro, no chuveiro e na cama.

Ela era sempre a personagem principal dos seus sonhos, e ali era amada, querida e desejada. Pelo fato de tudo isso estar bem longe da sua realidade, muitas vezes ela distanciava-se do que acontecia em seu cotidiano e refugiava-se nesses sonhos.

Cada vez que uma amiga deixava de ser uma amiga, por exemplo, ela voltava para o seu mundo de fantasias, onde ninguém poderia machucá-la, pelo contrário – ali todos a amavam.

Crescer assim parecia mais fácil para ela, mas a realidade foi se tornando cada vez mais difícil de ser encarada. Sua família mudou-se para um lugar longe de tudo e de todos que ela conhecia.

De uma hora para outra, essa menina se viu num país estranho, cercada por uma nova língua e um novo povo. Aqueles foram os piores anos de sua adolescência. As garotas do colégio eram más com ela.

“Bullying” era um jogo novo que essa menina não sabia jogar, mas, felizmente, ela sempre podia se refugiar nos seus sonhos. E assim, cada vez mais ela se fechava dentro de si mesma e não deixava ninguém entrar. Ela escutava seu walkman durante todo o dia e sonhava.

A vida de uma garota comum que achava que nunca iria chegar a lugar algum, a qual ouvia constantemente pessoas dizerem que ela era muito tímida para namorar um dia, quanto mais para casar. Essa menina que não conseguia andar de bicicleta, e tudo o que tinha eram inseguranças estampadas em seu rosto, que não sorria para estranhos ou até mesmo colegas de classe, não olhava para ninguém nos olhos - por ser muito assustador para ela, e seu mundo consistia basicamente em viver um dia após o outro…

Era eu.

Um dia encontrei Deus e com isso me vi - toda espremida em um canto - com medo de sair e ser quem eu era. Não foi fácil, estava escondida naquele canto há muito tempo. Meus olhos se abriram e eu comecei a ver as coisas de forma diferente, a acreditar em tudo aquilo que havia sido um sonho até então.

Comecei a destruir as muralhas que havia colocado ao meu redor. Aprendi a lutar. Todo o processo levou um tempo para, finalmente, me arrancar de dentro daquela bolha invisível da qual fui prisioneira durante toda a minha vida. Mas, quando eu saí, estava finalmente livre.

Cristiane Cardoso



*****


Quantos de nos vivemos atrás de muralhas existenciais, sendo prisioneiros de nos mesmos. Precisamos lembrar que Deus nos fez livres, e devemos reconhecer isso em nossas vidas para que possamos viver uma vida plena, verdadeira e feliz.

Ao ler este texto, eu me imaginei nessa historia; e assim como ela também tive meu momento de mudança, nem sempre é fácil, mais posso garantir que vale a pena, eu escolhi romper meus próprios muros, e hoje me vejo livre de todas as minhas inseguranças da infância e juventude. Livre de todas as idéias erradas, acumuladas ao longo dos anos. Livre de todos os hábitos teimosos que me custaram muito no passado. Sinto-me livre para ser quem eu realmente sou.

Que Deus nos de graça e nos faça chegar até o fim de nossos dias com a certeza de que escolhemos a VIDA!!


Gisele Mulek


domingo, 5 de junho de 2011

Paciência..!!!!


Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.

Por muito pouco a madame que parece uma 'lady' solta palavrões e berros que lembram as antigas 'trabalhadoras do cais'... E o bem comportado executivo? O 'cavalheiro' se transforma numa 'besta selvagem' no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar...

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma 'mala sem alça'. Aquela velha amiga uma 'alça sem mala', o emprego uma tortura, a escola uma chatice.

O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela. Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado...

Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais. Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus. A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta. Pergunte para alguém, que você saiba que é 'ansioso demais' onde ele quer chegar? Qual é a finalidade de sua vida? Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.

E você?
Onde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Seu coração vai agüentar?
Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar?
A empresa que você trabalha vai acabar?
As pessoas que você ama vão parar?
Será que você conseguiu ler até aqui?

Respire... Acalme-se... O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência...

Por Arnaldo Jabor


****


Gálatas 5:22-23, fala-nos dos frutos do Espírito: "amor, alegria, paz, paciência, bondade, benevolência, fé, mansidão e domínio de si". Estes frutos provêm de um projeto de vida que todo cristão é chamado a seguir.

Então seja mais positivo, mais leve, brando no agir, manso no falar, pode ter certeza que todos ao seu redor, até mesmo você, ganharam com isso!!

Em Cristo,

Um ótima semana a todos!!


Gisele Mulek


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...