.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Bom Natal e um Feliz Ano Novo..!!



É... chegamos a mais um fim de ano.

Deixando para trás mais um ano “velho” e na expectativa de mais um ano “novo”.

E o que terá de novo??

Muitos afirmam que quase nada muda, afinal são apenas datas, tempos, e que geralmente continuamos os mesmo. Pois passamos um ano inteiro correndo, trabalhando, estudando, sem tempo, sem dinheiro (rs), e assim vai, e sempre chegamos ao final do ano com a mesma expectativa de que tudo será diferente.

Mais na verdade para que seja diferente temos que "ser" diferentes, como se diz "nos devemos ser a mudança que queremos ver", não adianta desejarmos resultados diferentes se continuamos sempre com as mesmas ações, e as mesmas atitudes.

A começar pelo ultimo mês do ano, estes dias li uma pesquisa que dizia ser este o mês mais estressante. E não dá para discordar. Este é um período de festas e alegria, mas também é muito cansativo. Encontramo-nos esgotados.

E assim acabamos muitas vezes por esquecer o que este período realmente representa, tamanha pressão nos faz ignorar o que haveria de mais significativo nessa data: as pessoas que amamos.

Presenteamos, mas não tocamos; rimos juntos, mas ignoramos suas dores; falamos muito, mas não ouvimos. E tudo passa depressa… E quando acordarmos, já será janeiro e um novo ano terá começado.!!

E o que muda??

Em fim, deixo aqui esse recado: pare.. respire.. pense o que realmente importa em sua vida, coisas se perdem, passam, perdem valor, o que fica é a amizade sincera, o amor verdadeiro, a família, a fé, e a esperança de um mundo melhor para nos e para os nossos.


Então que venha 2012..!!

Desejo a todos um Bom Natal e um Feliz Ano Novo..!!

Estarei ausente por alguns dias devido minha mudança de endereço.. e também a minha viagem de férias...!!

Um caloroso abraço... e até a volta!!!


Gisele Mulek



quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Amar é para poucos...


Amar é para poucos
Por Ivan Martins

Você já esteve apaixonada por algém incapaz de gostar?

A capacidade de amar, assim como a coragem ou a inteligência, não é do mesmo tamanho em todos nós. Eu sou forçado a lembrar disso todo vez que converso com S., uma amiga de Brasília que é, possivelmente, a mulher mais apaixonada do mundo.

Quando falamos, na semana passada, ela estava em preparativos para um novo casamento. Conheceu o rapaz há poucos meses, está profundamente envolvida e, sem temor aparente, se prepara para iniciar uma vida comum. Não é a primeira vez que ela faz isso e é provável que não seja a última, mas, assim como no passado, avança para o casamento com a convicção tranquila de que, se alguma coisa der errada, não será por falta de amor, lealdade e dedicação da parte dela.

Ao contrário da minha amiga, que tem uma facilidade até exagerada de se vincular, muitos de nós sofremos do oposto: uma enorme dificuldade em criar ligações profundas e verdadeiras. O sintoma mais comum é que vivemos atormentados por dúvidas sobre a intensidade e a profundidade dos nossos sentimentos. Quem tem uma conexão emocional profunda não se pergunta a todo o momento se deveria seguir em frente ou tentar com outra pessoa.

Muitos acham difícil construir mesmo essa ponte precária em direção aos outros. Há pessoas para quem o ato de se entregar emocionalmente nem existe. Elas sentem-se de alguma forma isoladas mesmo sendo parte de um casal. Gostam, compartilham, respeitam, transam intensa e prazerosamente, mas não se sentem vinculadas. Há uma barreira invisível de privacidade que jamais é rompida. Persiste a sensação de que o outro é fundamentalmente um estranho. A delícia de sentir-se íntimo, que na minha amiga é natural como respirar, nunca foi experimentado de forma duradoura por milhões de pessoas.

Quando penso em mim e nas pessoas que conheço intimamente, me parece que existe uma progressão que vai dos apaixonados incondicionais às pessoas que não conseguem se vincular – e que a maioria de nós se encontra emocionalmente em algum ponto entre esses dois extremos. Temos graus variáveis de dificuldade para amar e sair de nós mesmos, mitigados por períodos de entrega e arrebatamento.

De qualquer forma, a ideia de que somos todos iguais diante do amor, e que a única dificuldade está em encontrá-lo, me parece falsa – ou pelo menos exagerada. Postos diante da possibilidade do amor, uns não conseguirão reconhecê-lo e outros terão impulso de afastar-se. Poucos serão capazes de abraçá-lo assim que ele virar a esquina. Somos diferentes também nisso.

Se pensarmos na dificuldade de se vincular como um problema, ele talvez seja mais comum entre os homens (embora eu conheça mulheres que também preferem manter-se a uma distância emocional segura). Quantos caras você conhece que trocam periodicamente de parceiras sem estabelecer um vínculo real com qualquer uma delas? Esse tipo de comportamento pode ser tanto o resultado de uma opção social quanto de uma deficiência emocional. Talvez haja alguma verdade no clichê rancoroso sobre “homens incapazes de amar”.

As causas dessas dificuldades são, para mim, insondáveis, mas me parece óbvio que o caos interior e a ansiedade em que boa parte de nós vive não ajuda a gostar de ninguém. Como criaturas tão atormentadas por seus próprios demônios conseguiriam reunir a atenção e a generosidade que o amor exige? É fácil proclamar-se apaixonado ou apaixonada a cada esquina, de forma imaginária e histérica. Mas manter um afeto duradouro na vida real exige mais do que pirotecnia e rock and roll. Exige sentimentos profundos que alguns de nós não são capazes de oferecer.

As consequências da dificuldade de amar são óbvias. A primeira é o sofrimento que ela impõe aos parceiros. É duro lidar com alguém que não está 100% ali. É chato confrontar-se com a hesitação de quem não sabe o que sente. Dói lidar com a aspereza de quem não consegue se coloca na pele do outro – ou não permite que o outro entre sob a sua própria pele.

É evidente, também, que gente com dificuldade em se entregar não tem relações satisfatórias. Para que elas existam, os laços afetivos têm de estar ancorados em algo mais sólido do que os nossos desejos imediatos, que variam de um dia para o outro. Mas a criação de laços duradouros não se faz por um ato de vontade. É preciso ser capaz de gostar, amar e confiar. É preciso sentir-se parte de algo - e alguns de nós, muitos de nós, não conseguem sentir-se parte de coisa nenhuma.

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2011/11/amar-e-para-poucos.html




sábado, 17 de dezembro de 2011

Tempo....


Tempo perde a noção do tempo quando se ama
A vida ganha sentindo de vida quando se ama
As horas voam quando se ama porque se ama sem cronogramas

Sorriso vem fácil quando se ama porque a tristeza some
Pensamentos se perdem com tanta coisa linda de se pensar
Ganha-se eixo quando se ama tudo se converge ao bem

Gente vira criança empolgada sem maldade quando a gente mesmo adulto ama
Coração acelera aperta pulsa quando a gente pensa em quem ama
A distância encurta porque coração aproxima a pessoa que a gente ama

Quando a gente ama... simplesmente ama..!!!


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Grandeza...


É melhor a verdade que dói do que a mentira que produz falso alívio.

A grandeza de um ser humano não está no quanto ele sabe mas no quanto ele tem consciência que não sabe.

O destino não é frequentemente inevitável, mas uma questão de escolha. Quem faz escolha, escreve sua própria história, constrói seus próprios caminhos.

Os sonhos não determinam o lugar onde você vai chegar, mas produzem a força necessária para tirá-lo do lugar em que você esta.

Então sonhe com as estrelas para que você possa pisar pelo menos na Lua. Sonhe com a Lua para que você possam pisar pelo menos nos altos montes.

Sonhe com os altos montes para que você possam ter dignidade quando atravessarem os vales das perdas e das frustrações.

Uma pessoa inteligente aprende a matemática numérica, uma pessoa fascinante vai além, aprende a matemática da emoção, que não tem conta exata e que rompe a regra da lógica.

Nessa matemática você só aprende a multiplicar quando aprende a dividir, só consegue ganhar quando aprende a perder, só consegue receber, quando aprende a se doar.

Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros, uma pessoa sábia vai além, aprende com os erros dos outros, pois é uma grande observadora.

Procure um grande amor na vida e cultivem-no. Pois, sem amor, a vida se torna um rio sem nascente, um mar sem ondas, uma história sem aventura!

Mas, nunca esqueçam, em primeiro lugar tenham um caso de amor consigo mesmos.


Por, Agusto Cury

******

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O Tempo de Deus


Um excelente nadador tinha o costume de correr até a água e de molhar somente o dedão do pé antes de qualquer mergulho. Uma pessoa intrigada com aquele comportamento perguntou-lhe qual a razão daquele hábito. O nadador sorriu, e respondeu:

- Há alguns anos eu era um professor de natação que ensinava a nadar e a saltar do trampolim. Certa noite, eu não conseguia dormir, e fui até a piscina para nadar um pouco. Não acendi a luz, pois a lua brilhava através do teto de vidro do clube.

Quando eu estava no trampolim, vi minha sombra na parede da frente. Com os braços abertos, minha imagem formava uma magnífica cruz. Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando minha imagem. Nesse momento pensei na cruz de Jesus Cristo e em seu significado.

Eu não era um cristão, mas quando criança aprendi que Jesus tinha morrido na cruz para nos salvar pelo seu precioso sangue. Naquele momento, as palavras daquele ensinamento me vieram à mente e me fizeram recordar do que eu havia aprendido sobre a morte de Jesus. Não sei quanto tempo fiquei ali parado com os braços estendidos.

Finalmente, desci do trampolim e fui até a escada para entrar na água. Desci a escada e meus pés tocaram o piso duro e liso do fundo da piscina. Haviam esvaziado a piscina e eu não tinha percebido. Tremi todo, e senti um calafrio na espinha. Se eu tivesse saltado seria meu último salto.

Naquela noite a imagem da cruz na parede salvou a minha vida. Fiquei tão agradecido a Deus, que ajoelhei na beira da piscina, confessei os meus pecados e me entreguei a Ele, consciente de que foi exatamente em uma cruz que Jesus morreu para me salvar. Naquela noite, fui salvo duas vezes e, para nunca mais me esquecer, sempre que vou até piscina molho o dedão do pé antes de saltar na água...

Deus tem um plano na vida de cada um de nós e não adianta querermos apressar ou retardar os acontecimentos, pois tudo acontecerá no seu devido tempo, e esse tempo é o "Tempo de Deus", e não o nosso!

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz". Eclesiastes 3:1 a 8.


Uma abençoada semana a todos..!!

Gisele Mulek

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Ser Chique Sempre...




Ser chique sempre

Por Glória Kalil

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje. A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas. Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida. Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio. Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua. Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar-se do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir. Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É "desligar o radar", "o telefone", quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios. Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material deste mundo.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem, e que não seja correta.

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos!


*****

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Cada um oferece o que tem!!!


A Lei do Caminhão de Lixo
(por Arnaldo Jabor)

Um dia peguei um táxi para o aeroporto. Estávamos rodando na faixa certa quando um carro preto saiu de repente do estacionamento direto na nossa frente. O taxista pisou no freio bruscamente, deslizou e escapou de bater em outro carro, foi mesmo por um triz!

O motorista desse outro carro sacudiu a cabeça e começou a gritar para nós nervosamente. Mas o taxista apenas sorriu e acenou para o cara, fazendo um sinal de positivo. E ele o fez de maneira bastante amigável.

Indignado lhe perguntei: ‘Porque você fez isto? Este cara quase arruína o seu carro, a nós e quase nos manda para o hospital?!?!’ Foi quando o motorista do taxi me ensinou o que eu agora chamo de “A Lei do Caminhão de Lixo.”


Ele explicou que muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por aí carregadas de lixo, cheias de frustrações, de raiva, traumas e desapontamento. À medida que suas pilhas de lixo crescem, elas precisam de um lugar para descarregar e às vezes descarregam sobre a gente.

Então... Nunca tome isso como pessoal. Isto não é problema seu! É dele!


Apenas sorria, acene, deseje-lhes sempre o bem, e vá em frente. Não pegue o lixo de tais pessoas e nem o espalhe sobre outras pessoas no trabalho, em casa, ou nas ruas. Fique tranquilo… respire e deixe o lixeiro passar. O princípio disso é que pessoas felizes não deixam os caminhões de lixo estragar o seu dia. A vida é muito curta, não leve lixo com você!

Limpe os sentimentos ruins, aborrecimentos do trabalho, picuinhas pessoais, ódio e frustrações. Ame as pessoas que te tratam bem. E trate bem as que não o fazem.

A vida é dez por cento do que você faz dela e noventa por cento da maneira como você a recebe!


*****


Cada um oferece o que tem!!!

Uma ótima semaninha a todos...

Gisele Mulek

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A gente se acostuma... Mas não deveria!!


A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E porque à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado porque está na hora. A tomar café correndo porque está atrasado. A ler jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíches porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir a janela e a ler sobre a guerra. E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E aceitando as negociações de paz, aceitar ler todo dia de guerra, dos números da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que paga. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com o que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes, a abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema, a engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às besteiras das músicas, às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À luta. À lenta morte dos rios. E se acostuma a não ouvir passarinhos, a não colher frutas do pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente só molha os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda satisfeito porque tem sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito.

A gente se acostuma para poupar a vida... que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma.

Marina Colasanti

*****

domingo, 6 de novembro de 2011

A Alegria na Tristeza


O título desse texto na verdade não é meu, e sim de um poema do uruguaio Mario Benedetti. No original, chama-se "Alegría de la tristeza" e está no livro "La vida ese paréntesis" que, até onde sei, permanece inédito no Brasil.

O poema diz que a gente pode entristecer-se por vários motivos ou por nenhum motivo aparente, a tristeza pode ser por nós mesmos ou pelas dores do mundo, pode advir de uma palavra ou de um gesto, mas que ela sempre aparece e devemos nos aprontar para recebê-la, porque existe uma alegria inesperada na tristeza, que vem do fato de ainda conseguirmos senti-la.

Pode parecer confuso mas é um alento. Olhe para o lado: estamos vivendo numa era em que pessoas matam em briga de trânsito, matam por um boné, matam para se divertir. Além disso, as pessoas estão sem dinheiro. Quem tem emprego, segura. Quem não tem, procura. Os que possuem um amor desconfiam até da própria sombra, já que há muita oferta de sexo no mercado. E a gente corre pra caramba, é escravo do relógio, não consegue mais ficar deitado numa rede, lendo um livro, ouvindo música. Há tanta coisa pra fazer que resta pouco tempo pra sentir.

Por isso, qualquer sentimento é bem-vindo, mesmo que não seja uma euforia, um gozo, um entusiasmo, mesmo que seja uma melancolia. Sentir é um verbo que se conjuga para dentro, ao contrário do fazer, que é conjugado pra fora.

Sentir alimenta, sentir ensina, sentir aquieta. Fazer é muito barulhento.

Sentir é um retiro, fazer é uma festa. O sentir não pode ser escutado, apenas auscultado. Sentir e fazer, ambos são necessários, mas só o fazer rende grana, contatos, diplomas, convites, aquisições. Até parece que sentir não serve para subir na vida.

Uma pessoa triste é evitada. Não cabe no mundo da propaganda dos cremes dentais, dos pagodes, dos carnavais. Tristeza parece praga, lepra, doença contagiosa, um estacionamento proibido. Ok, tristeza não faz realmente bem pra saúde, mas a introspecção é um recuo providencial, pois é quando silenciamos que melhor conversamos com nossos botões. E dessa conversa sai luz, lições, sinais, e a tristeza acaba saindo também, dando espaço para uma alegria nova e revitalizada.

Triste é não sentir nada!!


*****

Há tristeza na alegria, porque tristeza é um dos nomes da decepção, porque existir nessa dimensão é incompleto, há muita limitação, de modo que mesmo feliz sempre se tem a impressão de que algo sempre nos falta.

Há alegria na tristeza, porque tristeza é uma manifestação de insatisfação, de prostração diante de algo que nos fere, que nos despedaça. E mesmo assim, no bagaço, ainda estamos vivos, há esperança na escuridão, do fundo do buraco imaginamos que amanhã tudo será melhor e nós harmoniosamente faremos parte de uma nova imensidão.

Seja como for, que sua tristeza seja forte o bastante para produzir a alegria necessária; e que depois da reclusão você possa abrir a janela, e perceber que ainda existe vida, se chove ou faz sol, ainda há vida!!



Gisele Mulek

sábado, 5 de novembro de 2011

Descansarei....



Descansarei
Comunidade Evangélica de Maringá

Cobre-me
Com tuas mãos
Com poder
Vem me esconder Senhor

Se o trovão e o mar se erguendo vêm
Sobre a tempestade eu voarei
Sobre as águas tu também és rei
Descansarei, pois sei que és Deus

Minha alma está
Segura em ti
Sabes bem
Que em Cristo firme está


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

A dor da espera


Queria conhecer alguém que gosta de esperar. Sim… esperar. Ficar ali, paradinho, aguardando… E fazer isso numa boa. Sem estresse. Divertir-se com o tic-tac do relógio e o vazio do tempo perdido. Não sei se essa pessoa existe. Talvez sim. Afinal, como dizem, tem gosto – e gente – pra tudo.

Entretanto, a mais dolorosa espera não é essa da fila do supermercado, do banco… Nem do livro ou filme ansiosamente desejados, comprados, mas que não chega. A mais difícil é a do amor que não chega, do relacionamento que não se define, do sim por vezes adiado. Uma espera alimentada pela esperança, mas que queima a alma e corrói a paz pela dúvida, insegurança e medo.

Esperar é olhar para o horizonte. É ficar na janela horas a fio. É olhar para o telefone, dizer alô e perceber foi ilusão. É colocar a cabeça no travesseiro e saber que o sono não vem… É a constante angustia por palavras de um futuro bom.

Quem espera, sonha com um final feliz. Deseja concretizar suas vontades. Espera pois sabe que não tem controle do outro e nem pode interferir em seu destino. É um constante bater à porta sem ter acesso à casa, já que não se possui a chave.

Nem todos estão dispostos. Nem todos sabem esperar. Alguns tentam forçar “a porta”. Outros, simplesmente desistem. Contudo, há aqueles que persistem. Sofrem com os minutos que se arrastam, com os dias carentes de vida, mas seguem ali movidos por uma força maior… Parecem loucos. Não são. Apenas amam. E amar é esvaziar-se de si para se deixar ser preenchido pelo outro.

Fonte:
http://blogdoronaldo.wordpress.com/2011/11/03/a-dor-da-espera/


quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sua ausência....!!!


Este sempre foi um mês de festa, mês que comemorávamos com alegria o aniversário de meu Avô, mas coincidência ou não, se tornou agora o mês de lembrar e lamentar sua partida.

Hoje, um ano, que você se foi, quanta saudade!!

Impossível não chegar à casa onde você construiu e não ter lembranças de tantos momentos, desde a infância, de seu sorriso, seus olhos azuis, suas brincadeiras, seu abraço tímido, seu jeito quieto, mais sempre presente.

Acho que posso definir sua falta como as luzes quando se apagam, deixam em nós a escuridão. A falta da luz dá o contraste para nossos olhos poderem captá-la, porém, passados alguns instantes, nossos olhos se acostumam sem ela e começam a vislumbrar, definir algumas formas, começam "a ver" na escuridão.

Assim também ocorre com a ausência de quem amamos; o contraste de sua falta nos faz sentir a sua presença; e aos poucos acomoda-se em nós o desconforto dessa permanente ausência e fica então essa doce saudade.

Hoje nesse momento me sinto triste, coração aflito, vazio no peito, lágrimas. Sem entender ficamos assim, sem respostas a essa pergunta que não quer calar: Porque perdemos pessoas que amamos?? Porque a vida não os mantém junto a nós?

Mais entendo, que Deus deu a vida, e a Ele pertence!!

Fica então sua ausência, mais posso dizer que mesmo você não estando aqui... de alguma forma tento parecer que estas!!

Com saudades, meu avô Demetrio Mulek (*02.11.1933 / +10.11.2009).

Gisele Mulek


****


Hoje dia 02/11/2011 seu aniversário... lembro com muita saudade.. nesses dois anos que se passou. Só mostra que não importa se anos.. meses.. dias.. sempre doi perder alguem especial que a gente ama!!

Dia de saudade!!

Gisele Mulek

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Hoje estou todo negro...


Hoje estou todo negro
Vesti-me de preto do tórax à planta dos pés
Fiz isso, pois precisava
sentir a mim e me inebriar na exatidão
Fiz isso, pois qualquer outra cor não poderia correlacionar
ao meu estado de espírito

Fiz isso, pois meu interior jaz em negro violento,
obscuro e silencioso
Fiz isso por que me cansei de tantas cores
que a vida parece ter
Meu ser agora é todo negro
Negro da cor do nada
Negro que nega o tudo

Cansei de tudo
Das palavras sempre bem elaboradas no papel,
do livro sempre lido que de tão lido
está surrado e já com páginas amareladas
Dos sorrisos de dentes brancos
Da mesma casa, dos mesmos gostos,
dos mesmos discos novos.
Da internet sempre atual. Do vermelho vivo
que as luzes dos carros emitem no transito
De palavras sempre belas
e repetidas, dos desejos e insinuações
Desta minha fé morta, que de tão morta
move montanhas
Das mesmas pessoas, dos mesmos assuntos,
das mesmas casas, das mesmas caras.

Estou cansando e sobrecarregado
Cansei desta velha casca desgastada
que carrego sempre
e que com ela vou vivendo até um dia me acabar.
Cansei de tudo que é cor.
Cansei de tudo que é meu e mais um pouco
que tomo emprestado dos outros

Tudo o que me resta é esta casca
Esta velha casca desgastada
E esta angustia existencial inacabada

Fernando Martins


domingo, 30 de outubro de 2011

Você...


Você é o meu eixo segura os meus desequilíbrios...

Você é a minha paz nos meus tormentos...

Você é a minha luz na minha caminhada...

Você é a minha esperança nas desilusões...

Você é a minha cura para a minha doença chamada solidão...


Você é o meu anjo me protege me segura...


Você é o meu tudo nesse nada que sou eu...


Você é a minha alma gêmea...

Você minha metade... meu complemento...

Simplesmente você..!!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Para onde vão nossos desejos?


Para onde vão quando nada parece fazer sentido? Para onde vão quando a vida se perde numa curva da estrada? Para onde vão quando tudo que sempre se desejou simplesmente desaparece como num passe de mágica? Onde encontrar forças? Onde encontrar motivos se as razões para sorrir esvaziaram-se?

Não há respostas. Perdemo-nos. Todos nós. A vida prega peças que surpreendem. Ninguém controla tudo. Muito menos, sentimentos e emoções.

Dia desses gravei uma entrevista sobre a importância de sermos educados para lidar com as emoções. O papo foi empolgante. Afinal, vivemos um tempo em que cuidamos muito do intelecto, mas damos pouca atenção ao que sentimos. Entretanto, embora a conversa tenha revelado a importância de reconhecermos aquilo que sentimos, cheguei à conclusão que ninguém aprende ou domina completamente o que vai no coração.

Você não chega e diz pro coração: - Não fique triste!

Já tentou? Deu certo?

Pois bem… se deu certo, venda a receita. Isso mesmo, venda!

Queremos superar as perdas. Quem gosta da dor é masoquista. Doente da cabeça. Gente “normal” quer sentir-se bem.

São nossos desejos que nos movem. Desejos entendidos como a pulsão de nossa vida. E esta se faz presente na vontade de trabalhar, estudar, ler um livro, amar… viver. A busca e a realização dos desejos fazem a alma bailar.

Entretanto, por vezes, parecem nos abandonar. E nos deixam quase sempre por situações aparentemente corriqueiras, mas que nunca serão facilmente assimiladas. Pode ser a perda de alguém querido, a briga com um amigo, os desencontros no amor… E aí você olha dos lados e nada faz sentido. Olha para dentro de si e só encontra vazio. Nenhuma resposta. Só perguntas.

Quando isso acontece, ah… você pode ouvir o que for, qualquer palavra, mas nada consola. Não tem abraço, não tem carinho, não tem sorriso… nada. Nada conforta.

Seria carência? Fragilidade emocional? Talvez. Talvez sim. Mas, confesso que tenho medo de pessoas que não sentem dor, que lidam de maneira completamente prática com os sentimentos. Para mim, que vive assim, não vive. Viver e não sentir, não é viver.

As dores da alma são por vezes muito piores que as do corpo. Estas se curam com remédios, cirurgias… tratamentos que a ciência proporciona. As do coração… só o tempo. E às vezes, nem o tempo. Até cicatriza, mas as marcas ficam.

Uma vida bem vivida é uma vida de ganhos e perdas. De desejos adquiridos, de desejos esvaziados. De motivos novos, de motivos velhos e abandonados – por escolhas que nem sempre são nossas.

Viver bem é reconhecer que há dias em que simplesmente não desejamos existir. Sabendo, no entanto, que sempre haverá um novo dia…

Por, Ronaldo Nezo

Fonte:http://blogdoronaldo.wordpress.com/2011/10/26/para-onde-vao-nossos-desejos/



sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Ontem chorei...


... Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei.

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Eu te Amo!


"Com amor eterno te amei, também com benignidade te atraí." (Jeremias 31.3)

O título desta página fica bem para um apaixonado. Também fica bem para pais e filhos. Sou pai de cinco filhos. Três filhos casaram-se com moças talentosas. As duas filhas casaram-se com homens que se têm mostrado excelentes cavalheiros.

Tanto eu como a minha querida esposa amamos os nossos filhos e suas famílias. Eles nos falam ou escrevem: "amamos vocês." O nosso relacionamento tem sido muito gratificante. Por que será? Simplesmente porque, como pais, achamos os nossos filhos, noras, genros e netos muito lindos e queridos. Nós os amamos.

Nossa relação é muito boa e as declarações de amor e carinho são reais. Mas como fica esta declaração "Eu te amo", partindo de Deus? Entre namorados a razão é que a gente se vê. O mesmo ocorre no relacionamento familiar. A gente se vê. Deus, também nos vê.

E o que Deus vê em nós, criaturas humanas carregadas de vaidade, de orgulho e de falsidade? A Bíblia mesmo nos afirma que não há justo, nenhum sequer. Todos estamos enlameados pelo pecado. E o pecado é uma força tremendamente destruidora para a mente.O pecado corrompe a tal ponto que muitos duvidam que Deus nos ame.

Entretanto, a Bíblia afirma repetidas vezes que Deus nos ama. Basta ver o que ele nos diz pelo profeta Jeremias, no versículo de hoje. Amigo, Deus nos conhece. Ele nos vê. Ele sabe que não temos em nós nem méritos e nem condições para nos erguermos sozinhos da nossa queda.

E porque é verdade que Ele nos ama, Ele vem ao nosso encontro por meio de Jesus, seu Filho amado. Cabe a nós reconhecer o nosso estado de perdidos e voltarmo-nos humildemente a Cristo. Nele temos o perdão de que necessitamos. E então podemos afirmar com o apóstolo João: "Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro."

Fonte: www.bibliafacil.com.br




Devemos confiar em todos os momentos no amor de Deus por nós. Fixar o nosso olhar em Jesus, porque d’Ele brota a força para continuarmos a caminhada, mesmo em meio aos desencontros e às adversidades que a vida nos propõe. O amor de Cristo é o que nos impulsiona, nos encoraja, e nos faz avançar, e assim realizar nossos sonhos e nossa missão com êxito, devemos ter verdadeiramente a nossa confiança na força que vem do Senhor.

O amor se dobra, para não se romper!!

Uma ótima semana a todos.

Gisele Mulek

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Saudade


Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,

mas o amado já...


Saudade é amar um passado que ainda não passou,

é recusar um presente que nos machuca,

é não ver o futuro que nos convida...


Saudade é sentir que existe o que não existe mais...


Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...


Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:

aquela que nunca amou.


Pablo Neruda


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Criança...!!


Já fui sonho... projeto... feto...
Hoje, sou como o raiar de um novo dia,
O brotar de uma semente,
O desabrochar de uma flor!

Sou como uma doce melodia,
Com autor e partitura,
Só preciso que me 'toquem' com ternura,
Para que eu possa ser gente!

Do bem, quero ser sempre contexto,
Não nasci para ser avesso!
Sou portador do sol,
Trago luz, alegria e esperança!

Afinal sou criança,
Imagem e semelhança de nosso Senhor!


Feliz dia das Crianças..!!

Para todos os pequeninos... e aos grandes que sabem o valor de tornarem-se pequenos!!

Gisele Mulek

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Tirando a venda dos olhos..!!


Conta uma lenda que os índios Cherokees tem um intrigante ritual de passagem da juventude.

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho no topo da montanha. O filho senta-se ali naquela montanha onde deve permanecer por toda a noite, sem remover a venda dos olhos até surgir os raios do sol brilhante no dia seguinte, também sem poder gritar por socorro para ninguém.

Se ele passar a noite toda lá, sozinho, enfrentado seus medos, será considerado um homem. Depois disso ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o desafio do desconhecido.

O menino está naturalmente amedrontado. Ele pode ouvir toda espécie de barulho. Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele. Talvez alguns humanos possam feri-lo. Os insetos e cobras podem vir picá-lo. Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele senta-se estoicamente, nunca removendo a venda.

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.

E finalmente... após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida. E ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele. Percebe que ele estava ali, a noite inteira protegendo-o do perigo.

Isso me faz pensar que também nos nunca estamos sozinhos!

Em muitas das histórias bíblicas percebemos que a maioria dos grandes homens de Deus já carregou o peso de sentir-se desamparado, justamente em momentos em que mais precisavam de apoio e incentivo. Como Abraão, Moisés, Jó, José, Daniel, Elias, e muitos outros. Mas todos eles, ao tirarem à venda dos olhos, perceberam o quanto Deus estava perto.

Um exemplo que gosto muito é Jeremias que mostra todo o sentimento de abandono em que se encontra. Ele sentia-se só, muito mais, sentia-se um verme ambulante, motivo de escárnio do povo, como se Deus estivesse muito distante dele.

Mas, então, ele lembra quem é o Senhor, quem é o Deus que ele serve, e afirma: “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança. As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto, esperarei nele” (Lm 3.20-24).

Mesmo quando não percebemos, Deus está olhando para nós, bem ali ao nosso lado. Cuidando, protegendo, fazendo-nos passar nossas noites em segurança, mesmo quando pensamos que a escuridão nos toma por inteiro... Ele faz surgir o amanhecer, nos tira a venda e nos faz perceber que esta conosco em cada mínimo detalhe, em cada raio de Sol.

Por isso podemos ter a certeza que nunca estamos sozinhos! Deixe Deus tirar a venda dos seus olhos, e verá que Ele jamais deixou de estar ao seu lado, Ele jamais abandona você!

Porque Deus é fiel, e não desampara os seus!


Uma ótima semana a todos.

Gisele Mulek

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Bem Mais Que Tudo



Meu bem maior... Bem mais que tudo...
És meu Deus... sem ti nada sou..
Incomparável és!!

domingo, 18 de setembro de 2011

Deus tudo sabe....


Num reino distante existia um rei que não acreditava na bondade de Deus, mais ele tinha um servo que em todas as situações lhe dizia: Meu rei, não desanime porque tudo que Deus faz é perfeito, Ele não erra!

Um dia eles saíram para caçar e uma fera atacou o rei. O seu servo conseguiu matar o animal, mas não pôde evitar que sua majestade perdesse um dedo da mão.


Furioso e sem mostrar gratidão por ter sido salvo, o nobre disse: Deus é bom? Se Ele fosse bom eu não teria sido atacado e perdido o meu dedo.
O servo apenas respondeu: Meu Rei, apesar de todas essas coisas, só posso dizer-lhe que Deus é bom; e ele sabe o porquê de todas as coisas.

O que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra! Indignado com a resposta, o rei mandou prender o seu servo. Tempos depois, saiu para uma outra caçada e foi capturado por selvagens que faziam sacrifícios humanos.


Já no altar, prontos para sacrificar o nobre, os selvagens perceberam que a vítima não tinha um dos dedos e soltaram-no: ele não era perfeito para ser oferecido aos deuses.


Ao voltar para o palácio, mandou soltar o seu servo e recebeu-o muito afetuosamente. Meu caro, Deus foi realmente bom comigo! Escapei de ser sacrificado pelos selvagens, justamente por não ter um dedo! Mas tenho uma dúvida: Se Deus é tão bom, por que permitiu que você, que tanto o defende, fosse preso?


Meu rei, se eu não estivesse preso teria ido com o senhor nessa caçada, e teria sido sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum. Por isso, lembre-se: tudo o que Deus faz é perfeito.


Ele nunca erra! Muitas vezes nos queixamos da vida e das coisas aparentemente ruins que nos acontecem, esquecendo-nos que nada é por acaso e que tudo tem um propósito. Então toda manhã ofereça seu dia a Deus.


Peça para Deus inspirar os seus pensamentos, guiar os seus atos, apaziguar os seus sentimentos. E nada tema, pois Deus tudo sabe!!!


"Porque os caminhos do homem estão perante os olhos do Senhor, e Ele considera todas as suas veredas". Prov. 5:21


Uma semana de vitoria a todos!!

Gisele Mulek


sábado, 17 de setembro de 2011

Tomara...


Tomara que os olhos de inverno das circunstâncias mais doídas não sejam capazes de encobrir por muito tempo os nossos olhos de sol. Que toda vez que o nosso coração se resfriar à beça, e a respiração se fizer áspera demais, a gente possa descobrir maneiras para cuidar dele com o carinho todo que ele merece.

Que lá no fundo mais fundo do mais fundo abismo nos reste sempre uma brecha qualquer, ínfima, tímida, para ver também um bocadinho de céu. Tomara que os nossos enganos mais devastadores não nos roubem o entusiasmo para semear de novo.

Que a lembrança dos pés feridos quando, valentes, descalçamos os sentimentos, não nos tire a coragem de sentir confiança. Que sempre que doer muito, os cansaços da gente encontrem um lugar de paz para descansar na varanda mais calma da nossa mente.

Que o medo exista, porque ele existe, mas que não tenha tamanho para ceifar o nosso amor. Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.

Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.

Tomara que apesar dos apesares todos, dos pesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz. Tomara!


Ana Jácomo.


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Se ficasse com o meu coração...


Se um dia ficasse com meu coração sentiria minhas emoções
Veria que cada milésimo pulsa por você com sensações fortíssimas

Sentiria a adrenalina quando penso em você

Poderia visualizar as viagens lindas do meu pensamento


Se ficasse com meu coração veria como é bom pensar em você

Sentiria as vibrações que sinto quando chego perto de você

As batidas descompassadas quando sinto a sua boca

Saberia que em todas as veias correm liquido do amor que me sustenta


Se ficasse com meu coração veria à blindagem que existe para guardar você
Sentiria o calor de mil graus quando sinto você em mim
Veria as lembranças desde primeiro abraço apaixonado

E cada detalhe desse lindo amor


Se ficasse com meu coração saberia quando foi que gamei em você

Saberia as horas e os momentos que choro imaginando que posso te perder

Mais sentiria também a força que me invade de lutar por você


Em fim...

Se ficasse com meu coração...

Saberia que se fosse embora meu coração morreria nas suas mãos...


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Sou assim...


Diferente de tudo e de todos
Uns vêem o mundo por fora

Eu o vejo por dentro

Uns preferem ver o amor e a vida com os olhos

Eu os vejo com sensibilidade

Sou diferente.. talvez!


Mais todos são assim como são

Fácil é ser assim

Difícil é aprender a controlar a emoção

Mais difícil ainda é falar as verdades do coração

Difícil é demonstrar carinho e afeto
Viver em harmonia sob um mesmo
teto
Aprender a receber e dar carinho

Entender em verdade, este é o caminho


Pois a palavra dura desperta a ira

Mas a palavra doce amolece o coração

Para viver feliz é preciso aceitar

Não somente ser o que se é

Mas ser muito mais do que se quer ser

A cada manhã despertar para um desafio

O desafio de mudar, buscar, amadurecer, aprender

Isso exige sacrifício!


Aplacar o ego, negar a rejeição

Controlar a língua, usar o coração

Entender que não temos o direito de julgar

Mas compreender sempre.. é arte
É arte de se doar e amar
É a arte de aceitar os defeitos de seus semelhantes
E não ache que esta fazendo isso para os outros

Pois, o principal
beneficiário.

É VOCÊ!



Desejo um ótimo feriado a todos..


Gisele Mulek

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Uma pipa no céu...

A vida exige leveza; assim como a viagem, a estrada fica mais bonita quando podemos olhá-la sem o peso de malas nas mãos.

Seguir leve é desafio. Há paradas que nos motivam compras, suplementos que julgamos precisar num tempo que ainda não nos pertence, e que nem sabemos se o teremos.

Temos a pretensão de preparar o futuro. Eu tenho. Talvez você tenha também. É bom que a gente se ocupe de coisas futuras, mas tenho receio que a ocupação seja demasiada. Temo que na honesta tentativa de me projetar, eu me esqueça de ficar no hoje da vida.

Os pesos nascem desta articulação. Coisas do passado, do presente e do futuro. Tudo num tempo só.

Há uma cena que me ensina sobre tudo isso. Vejo o menino e sua pipa que não sobe ao céu. Eu o observo de longe. Ele faz de tudo. Mexe na estrutura, diminui o tamanho da rabiola, e nada. O pequeno recorte de papel colorido, preso na estrutura de alguns feixes de bambú retorcidos se recusa a conhecer as alturas.

O menino se empenha. Sabe muito bem que uma pipa só tem sentido se for feita para voar. Ele acredita no que ouviu. Alguém o ensinou o que é uma pipa, e para que serve. Ele acredita no que viu. Alguém já empinou uma pipa ao seu lado. O que ele agora precisa é repetir o gesto. Ele tenta, mas a pipa está momentaneamente impossibilitada de cumprir a função que possui.

Sem desistir do projeto, o menino continua o seu empenho. Busca soluções. Olha para os amigos que estão ao lado e pede ajuda. Aos poucos eles se juntam e realizam gestos de intervenção...

Por fim, ele tenta mais uma vez. O milagre acontece. Obedecendo ao destino dos ventos, a pipa vai se desprendendo das mãos do menino. A linha que até então estava solta vai se esticando. O que antes estava preso ao chão, aos poucos, bem aos poucos, vai ganhando a imensidão do céu.

O rosto do menino se desprende no mesmo momento em que a pipa inicia a sua subida. O sorriso nasceu, floresceu leve, sem querer futuro, sem querer passado. Sorriso de querer só o presente. As linhas nas mãos. A pipa no céu...

Pe. Fábio de Melo




sábado, 27 de agosto de 2011

Somos donos de nossos atos...


Somos donos de nossos atos,
mas não donos de nossos sentimentos;

Somos culpados pelo que fazemos,

mas não somos culpados pelo que sentimos;

Podemos prometer atos,

mas não podemos prometer sentimentos...

Atos sao pássaros engailoados,

sentimentos são passaros em vôo.


Mário Quintana




As vezes a razão não tem razão... por isso vale pensar com o coração!
Pois ele retrata as coisas da felicidade.. com pureza sempre mostra a verdade! Escute a voz do seu coração.. se não, poderá trair a si mesmo!

Um bom final de semana!!

Gisele Mulek


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Se estou só...



Se estou só, quero não estar,
Se não estou, quero estar só,
Enfim, quero sempre estar
Da maneira que não estou.

Ser feliz é ser aquele.
E aquele não é feliz,
Porque pensa dentro dele
E não dentro do que eu quis.

A gente faz o que quer
Daquilo que não é nada,
Mas falha se o não fizer,
Fica perdido na estrada.


Fernando Pessoa

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Saudades...


Ando com saudades de café com pão, de namorados dando beijinhos no portão, de pedir bênção a pai e mãe, (Deus te abençoe), do respeito quando passava na frente da igreja, de ver um varal cheio de roupa com cheiro apenas de sabão, de ver alguém sorrindo enquanto lava a louça com bucha vegetal;

De sentir respeito pela policia, de cantar o hino Nacional com mão no peito e lágrimas nos olhos, de acreditar que o Brasil ganhou a Copa do Mundo porque jogou direito, de saber que o Zezinho filho do porteiro não vai morrer de dengue e que Maria feirante poderá ter um filho médico...


Morro de saudades do tempo em que um presidente de uma nação era o mais respeitado cidadão do país.Que cadeia era lugar só de ladrão. Acho que andaram invertendo a situação.


Ando com saudades de galinha de galinheiro, de macarrão feito em casa com tempero sem agrotóxico, de só poder tomar guaraná em dia de festa, de homens de gravatas, de novela com final feliz, de pipoca doce de pipoqueiro, de dar bom dia à vizinha, de ouvir alguém dizer obrigado ao motorista e ele frear devagarinho preocupado com o passageiro. Saudades de gritar que a porta está aberta para os que chegam. Um saco destrancar tanto papaiz.


Saudades do tempo em que educação não era confundida com autenticidade. Hoje se fala o que quer, em nome de uma "tal" verdade e pedir perdão virou raridade.


Ando com saudades de ver no céu pipas não atingidas pelo efeito estufa.


Saudades das chuvas sem acidez, que não causavam aridez. Saudades de poder viajar sem medo de homem bomba, de ser recebida com pompa em outra nação.


Atualmente reina a desconfiança no coração.


Sinto muitas saudades do rubor das faces de minha mãe, quando se falava de sexo totalmente sem nexo. Hoje ele é tão banal que até eu banalizei.


Acho que a maior saudade que tenho é a saudade de tudo que acreditei.


Para minha filha não poderei deixar sequer a esperança. Hoje já não se nasce criança.



Extraido do Livro PreTextos de Rosa Pena 2003



sábado, 20 de agosto de 2011

As rosas não falam



As Rosas Não Falam
Composição: Cartola / Canta: Luciana Mello


Bate outra vez

Com esperanças o meu coração

Pois já vai terminando o verão,

Enfim


Volto ao jardim

Com a certeza que devo chorar

Pois bem sei que não queres voltar

Para mim


Queixo-me às rosas,

Mas que bobagem

As rosas não falam

Simplesmente as rosas exalam

O perfume que roubam de ti, ai


Devias vir

Para ver os meus olhos tristonhos

E, quem sabe, sonhavas meus sonhos

Por fim



sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Tem dias...


Tem dias em que a gente se emociona com a vida e simplesmente agradece a Deus por tudo que tem; Família, amigos, filhos, por mais que não sejam perfeitos mais todos tem um papel fundamental em nossa vida. Em dias assim, aprendemos a dar valor a cada gesto, cada demonstração de carinho que talvez em dias normais passassem despercebidos, ficamos sensíveis.

Mais tem dias que tudo parece cinza, sem vida, e perguntamos a Deus “Porque”?; Porque tem que ser assim?? Porque a vida as vezes é tão difícil?? Por que não pode acontecer do nosso jeito?? Infinitas perguntas... É nesse momento que precisamos refletir em que estamos fazendo de nossas vidas e consequentemente com a de todos ao nosso redor.

Em dias assim é onde nos damos conta que das pessoas que mais esperamos carinho são aquelas que geralmente nos ignoram; pessoas que você acredita que são as merecedoras da sua gratidão, mais na verdade não são; e por outro lado pessoas que normalmente seriam as últimas que você esperaria esse tipo de tratamento; essas são aquelas que te surpreendem, e te tiram da ausência de afeição, fazendo-se presentes mesmo quando ausente; estas nunca passam despercebidas.

Entretanto, independente de como me encontro, prefiro agradecer a Deus todos os dias pelo que tenho, pois não importa se estou sorrindo ou chorando, o importante é que ainda tenho vida, e mesmo que as vezes me encontre em meio ao caos, consigo ter a presença de pessoas importantes ao meu lado.

Por isso agradeço, por cada dia bom ao lado delas, por cada abraço, cada conselho, cada elogio, pelas criticas, por se importarem se estou bem, por cada ajuda mesmo que seja uma causa perdida, por simplesmente me escutarem, por me darem um sorriso, por segurarem a minha mão, por não desistirem de mim.

Agradeço por cada pequeno, mas nunca insignificante, gesto, pois é nesse momento que vemos o quanto existem pessoas que gostam da gente simplesmente pelo que somos, e nada mais.

Reflexão.. de um domingo de Dias dos Pais.. inesperado!!


Em Cristo, onde encontro paz.


Gisele Mulek

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Ei! Sorria...

Ei! Sorria... Mas não se esconda atrás desse sorriso... Mostre aquilo que você é sem medo. Existem pessoas que sonham com o seu sorriso, assim como eu.

Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa.

Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos.

Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome! Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz.

Procure o que há de bom em tudo e em todos. Não faça dos defeitos uma distancia, e sim, uma aproximação.

Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver. Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove.

Ei! Olhe... Olhe a sua volta, quantos amigos... Você já tornou alguém feliz hoje? Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo?

Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você. Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.

Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela. Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você.

Ei! Ouça... Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante. Suba... faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo; Mas não esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida.

Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você. Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar.

Ei! Você... não vá embora. Eu preciso dizer-lhe que... te adoro, simplesmente porque você existe.

Charles Chaplin



Não fique triste quando ninguém notar o que fez de bom. Afinal... O sol faz um enorme espetáculo ao nascer, e mesmo assim, a maioria de nós continua dormindo.

Desejo um ótimo dia a todos!


Gisele Mulek

domingo, 31 de julho de 2011

A Felicidade Possível..


Só quem está disposto a perder tem o direito de ganhar. Só o maduro é capaz da renúncia. E só quem renuncia aceita provar o gosto da verdade, seja ela qual for. O que está sempre por trás dos nossos dramas, desencontros e trambolhões existenciais é a representação simbólica ou alegórica do impulso do ser humano para o amadurecimento.

A forma de amadurecer é viver. Viver é seguir impulsos até perceber, sentir, saber ou intuir a tendência de equilíbrio que está na raiz deles (impulsos). A pessoa é impelida para a aventura ou peripécia, como forma de se machucar para aprender, de cair para saber levantar-se e aprender a andar. É um determinismo biológico: para amadurecer há que viver (sofrer) as machucadelas da aventura e da peripécia existencial.

A solução de toda situação de impasse só se dá quando uma das partes aceita perder ou aceita renunciar (e perder ou renunciar não é igual, mas é muito parecido; é da mesma natureza). Sem haver quem aceite perder ou renunciar, jamais haverá o encontro com a verdade de cada relação. E muitas vezes a verdade de cada relação pode estar na impossibilidade, por mais atração que exista. Como pode estar na possibilidade conflitiva, o que é sempre difícil de aceitar.

Só a renúncia no tempo certo devolve as pessoas a elas mesmas e só assim elas amadurecem e se preparam para os verdadeiros encontros do amor, da vida e da morte. Só quem está disposto a perder consegue as vitórias legítimas. Amadurecer acaba por se relacionar com a renúncia, não no sentido restrito da palavra (renúncia como abandono), porém no lato (renúncia da onipotência e das formas possessivas do viver).

Viver é renunciar porque viver é optar e optar é renunciar.

Renunciar à onipotência e às hipóteses de felicidade completa, plenitude etc é tudo o que se aprende na vida, mas até se descobrir que a vida se constrói aos poucos, sobre os erros, sobre as renúncias, trocando o sonho e as ilusões pela construção do possível e do necessário, o ser humano muito erra e se embaraça, esbarra, agride, é agredido.

Eis a felicidade possível: compreender que construir a vida é renunciar a pedaços da felicidade para não renunciar ao sonho da felicidade.

Artur da Távola



Ser infeliz é fácil.. ser feliz requer esforço!!

Uma ótima semana.


Gisele Mulek

sexta-feira, 29 de julho de 2011

A Esperança...


A esperança nasce em meio ao medo, a muitas perseguições, angústias e fúrias. A espera e a confiança se abraçam, e rio corre levando às margens um menino, a esperança do seu povo.

A esperança nasce das águas,
e ela cresce junto aos inimigos, se fortalece e aprende seus segredos. Uma mulher lançou sobre as águas, a esperança do seu povo, e depois de algum tempo, floresceu no deserto o amor.

A esperança cresce em meio ao medo;
tiveram medo de abandonar o Egito, mesmo sendo escravos, dando seu sangue só para ter o que comer e beber. Suas muitas murmurações os impediam de ver a esperança de um novo amanhecer, de uma nova terra, de novos frutos de uma nova vida plena e de prazer.

Mas a esperança nasce em meio ao medo, e se mantém no deserto da vida, trazendo de volta á memória a alegria que nos conduzirá ao amor, que lança fora todo o medo, e prevalece sobre todo mal.

Moisés, tirado das águas. Não imaginava que seria ele a esperança que guiaria seu povo em meio ao deserto até uma terra boa de leite e mel. Não imaginava que aprenderia toda ciência e conhecimentos de um povo estranho para depois mais tarde lutar contra eles.

Não imaginava que seria líder de um povo cabeça dura, de dura cerviz e que seria instruído pelo próprio Deus, o Senhor de Israel.
Como sobreviver quando não tem água, comida e os olhos já não conseguem enxergar a luz.? Quando o sol esquenta os miolos e não nos deixa pensar? Quando cansados e sem forças, desanimamos?

Somente a esperança pode fazer reviver a fé e crer que para o Eterno Deus de Israel, não há impossíveis que Ele não possa fazer.
E assim como Paulo diz em Romanos 5:4 que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança.

Creia e mova-se, pois a fé e a esperança depende de nossas ações, e quando agimos, Deus age em nosso favor e traz a realidade de coisas que não existiam.

Reclamar e ficar murmurando o tempo todo só vai trazer atraso, e perda da visão da esperança, pois se tem esperança de algo que não se vê, creia, ore e caminhe na direção do mar, e o impossível Deus fará!

Exaltado seja o Senhor nosso Deus, o Deus de Abraão, Isaque e Israel. O meu Deus!!

Fonte: http://tmcmissao.blogspot.com/2011/07/esperanca.html



"Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus". Salmos 42:11


terça-feira, 26 de julho de 2011

Dia dos Avós!!!!


As mãos de meu avô...

Meu avô, com noventa e tantos anos, sentado debilmente no banco do jardim, mal se movia. Estava cabisbaixo olhando suas mãos. Quando me sentei ao seu lado, nem notou minha presença. O tempo passava, e finalmente, sem querer incomodá-lo, mas querendo saber como ele estava, lhe perguntei como se sentia.

Levantou sua cabeça, me olhou nos olhos e sorriu. "Estou bem, obrigado por perguntar", disse com uma voz forte e clara. Não quis incomodá-lo vovô, mas estava sentado aqui simplesmente olhando suas mãos e quis ter certeza de que estivesse bem, lhe expliquei.

Meu avô me perguntou: "Alguma vez você já olhou suas mãos? Quero dizer, realmente olhou suas mãos?" Lentamente soltei minhas mãos das de meu avô, as abri e as contemplei. Virei as palmas para cima e logo para baixo. Não, creio que realmente nunca as tinha observado. Queria saber o que meu avô queria dizer-me.

Meu avô sorriu, e me contou uma história. Pare e pense um momento sobre como tuas mãos tem te servido através dos anos. Estas mãos, ainda que enrugadas, secas e débeis tem sido as ferramentas que usei toda a minha vida para alcançar, pegar e abraçar. Elas puseram comida em minha boca e roupa em meu corpo.

Quando criança, minha mãe me ensinou a juntá-las em oração. Elas amarraram os cadarços dos meus sapatos, e me ajudaram a calçar minhas botas. Estiveram sujas, feridas, ásperas e dobradas. Minhas mãos se mostraram inábeis quando tentei embalar minha filha recém nascida. Decoradas com uma aliança, mostraram ao mundo inteiro que estava casado e que amava alguém muito especial.

Elas tremeram quando enterrei meus pais e esposa, e quando entrei na Igreja conduzindo minha filha no dia de seu casamento. Tem coberto meu rosto, penteado meus cabelos e lavado e limpado todo meu corpo. E até hoje, quando quase nada de mim funciona bem, estas mãos me ajudam a levantar e a sentar, e se juntam para orar. Estas mãos são as marcas de onde estive e a dureza de minha vida. E, o mais importante, é que são estas mãos que Deus tomará nas Suas quando me levar um dia à Sua presença.

Desde então, nunca mais vi minhas mãos da mesma maneira. Mas lembro quando Deus esticou Suas mãos e tomou as de meu avô e o levou à Sua morada. Cada vez que vou usar minhas mãos agora penso em meu avô; e na verdade que ele me fez perceber, pois nossas mãos são uma bênção de Deus.


Hoje me pergunto: O que estou fazendo com as minhas mãos? Estarei usando-as para abraçar e expressar carinho, ou as estarei brandindo para expressar ira e repulsa? Devemos dar graças a Deus por nossas mãos, e usa-las para o bem, pois aqueles que as têm sabem o valor que elas representam em nossas vidas.

Deixo hoje essa mensagem especial, primeiro que nos ensina a valorizar cada parte de nos, e acima de tudo nos mostra que nossos avós e anciões tem sempre uma lição para nos ensinar, por mais simples que seja.

Hoje é o “Dia do Vovô e da Vovó” fica aqui minha homenagem e carinho!!


Gisele Mulek


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Pensamento!!!!


"Todo mundo precisa,

...........................pra viver,

...............................morrer de vez em quando"


domingo, 24 de julho de 2011

Onde esta o amor...


É natural em nossas vidas buscar-mos sempre pelo melhor, ninguém quer o mal para si. E em nossas relações não é diferente, mais muitas pessoas perdem a vida inteira em busca da pessoa perfeita, e não se dão conta que às vezes ela esta logo ali, ao alcance de um abraço.

Certa vez eu li que não basta encontrar a pessoa certa, mais sim ser a pessoa certa. Pois pode ter certeza que temos tantos defeitos quanto à pessoa que esta em nosso lado, se não mais.

Eu acredito que ninguém ama alguém por suas qualidades, ou por sua educação e simpatia, ou porque se veste bem, ou porque é bem sucedido, creio que o verdadeiro amor simplesmente acontece, por empatia, por magnetismo, por química. Amar não requer conhecimento prévio; ama-se justamente pelo que o amor tem de indefinível.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, pela tormenta que te causa; Ama-se pelo tom de voz, pelo brilho nos olhos, pelo frio na barriga que provoca, pela força e pela fragilidade; Ama-se pelo beijo inigualável, pelo jeito de sorrir que te deixa imobilizado, pelas brigas, pelos acertos; Ama-se pelo que o outro é na essência, afinal quando se conhece os defeitos do próximo é que se pode amá-lo inteiramente.

Pense que não é preciso ir muito longe para encontrar o amor que tanto se busca, na maioria das vezes ele esta bem ao lado. É que nessa nossa correria diária não nos sobra tempo para parar e perceber que o que temos já é o suficiente para nossa vida. Então o que precisamos é deixar para trás a necessidade do século em “ter”, e se preocupar em apenas “ser”.

Ser original, verdadeiro, ser para o outro o que ele precisa assim você sentirá uma felicidade sem preço! Pois o amor acontece quando podemos suprir aqueles que realmente fazem nossa vida acontecer. Nada vale mais a pena que uma vida de amor, nem a fama, nem o poder, nem o dinheiro, nada trás felicidade completa, a não ser quando amamos, e somos amados.

O amor esta em você... basta sentir... precisamos deixar de lado as futilidades e se concentrar em viver uma vida plena; deixar de se cobrar pelo que fez e pelo que não fez; e tentar, hoje e sempre, o mais importante: SER FELIZ!!

É nesse momento, que o amor acontece!!


Uma ótima semana.


Gisele Mulek


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...