.
Aqui… com doçura, com paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor; Sabedoria, esperança, caridade e diferenças; Saudades, liberdade, dúvidas e certezas; Entre amigos ou família, quem sabe outras crenças, dias de sol ou de chuva, sem frescuras… dividimos…"segredos".


○○○○○

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Justiça ou vingança?


É a justiça que exige que aqueles que fazem o mal contra nós devam ser punidos por esta mesma sociedade. Mas justiça é muito diferente de vingança. A vingança diz: "Espere, vou pegar você"!

Quando somos magoados ou ofendidos, não demora muito para que nos vejamos querendo acertar as contas com aqueles que estão em dívida conosco. Não há alguém que lhe deva algo? Uma desculpa? Uma segunda chance? Um novo começo? Uma explicação? Um agradecimento? Uma infância? Um casamento? Pare e pense nisso (o que não o incentivo a fazer por muito tempo), e você poderá fazer uma lista de muita gente que está em dívida para com você. Seus pais deveriam ter sido mais gratos. Seu cônjuge deveria ser mais sensível. Seu pastor deveria ter sido mais atencioso.

O que você vai fazer com os que estão em dívida com você? As pessoas de seu passado meteram a mão no seu bolso e levaram o que era seu. O que você vai fazer? Poucas perguntas são mais importantes; lidar com a dívida é algo que está na essência de sua felicidade.

Jesus disse: "Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai Celeste também os perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai Celestial também não perdoará as ofensas" (Mateus 6:14,15). Jesus não questiona a realidade de suas feridas. Ele não duvida que tenham pecado contra você. A questão não é a existência da dor; a questão é o tratamento da dor. O que você vai fazer com suas dívidas?

O escritor Dale Carnegie fala sobre uma visita ao Yellowstone Park em que viu um urso pardo. O grande animal estava no centro de uma clareira, alimentando-se de coisas que eram deixadas no campo. Por vários minutos, ele se regalou sozinho; nenhuma criatura ousava se aproximar. Alguns minutos depois, um gambá atravessou a campina em direção à comida e se acomodou ao seu lado. O urso não protestou e Carnegie soube por que. O urso pardo sabia como era alto o preço de se vingar.

Seríamos inteligentes se aprendêssemos a fazer o mesmo. Ajustar contas é algo que custa caro. Para começar, você paga um preço que envolve seu relacionamento com outras pessoas.

Você já percebeu nos filmes de faroeste como o caça-recompensar viaja sozinho? Não é difícil entender por que isso acontece. Quem quer andar com um sujeito que ajusta contas para ganhar a vida? Quem quer arriscar a tê-lo como inimigo? Mais de uma vez, ouvi um homem despejar sua raiva. Ele achava que eu estava ouvindo, quando na verdade, eu estava pensando: espero nunca fazer parte de sua lista... Que tipos briguentos esses caça-recompensas! Melhor deixá-los sozinhos. Ande com gente irritada e você poderá ser atingido por uma bala perdida. Acertar dívidas é uma ocupação solitária. É também uma ocupação prejudicial à saúde. Você paga um preço alto fisicamente.

A Bíblia coloca ainda mais claramente esta questão: "O ressentimento mata o insensato" (Jó 5:2). Isso me faz lembrar de uma velha conversa de Amos e Andy. Amos pergunta o que é aquela garrafinha que Andy está usando em volta do pescoço. -Nitroglicerina - ele responde.

Espantado por ver que Andy estava usando um colar de nitroglicerina, Amos pede uma explicação. Andy fala sobre um colega que tinha o péssimo hábito de bater no peito das pessoas enquanto estava falando. - Isso me deixa louco - diz Andy. - Estou usando esta nitroglicerina porque, na próxima vez em que ele me bater, vou explodir seu dedo.

Andy não é o primeiro a se esquecer que, ao tentar se vingar, você se machuca. Jó estava certo quando disse "Você que se dilacera de ira!" (Jó 18:4). Você já percebeu que descrevemos as pessoas que nos "enchem a paciência"? A que paciência estamos nos referindo? Com certeza, não a delas. Somos nós que sofremos.

Se estiver interessado em ajustar contas, você nunca descansará. Como isso se dá? Para começar, seu inimigo talvez nunca chegue a pagar o que deve. Por mais que você pense que mereça uma desculpa, pode ser que quem lhe deve desculpa não concorde com tal avaliação. O racista talvez nunca se arrependa. O chauvinista talvez nunca mude. Por mais que você tenha argumentos em sua busca por vingança, talvez essa justiça nunca lhe dê nada. E, se você ganhar algo, isso lhe bastará?

Pensemos, de fato, nisso. Até onde a justiça é suficiente? Imagine seu inimigo por um instante. Imagine-o amarrado a uma coluna para ser chicoteado. O homem pergunta: "Quantas chicotadas?" E você dá um número. O chicote bate, o sangue se espalha e o castigo é infligido. Seu inimigo cai ao chão e você vai embora.

Você está feliz agora? Sente-se melhor? Está em paz? Talvez por um tempo sim; mas logo outra lembrança virá à tona e outra chicotada será necessária. Quando tudo isso termina?

Isso pára quando você leva a sério as palavras de Jesus: "Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai Celeste também os perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai Celestial também não perdoará as ofensas" (Mateus 6:14,15).

"Trata-me como trato meu próximo." Você está ciente de que é isso que está dizendo para o seu Pai? "Dá-me que dou à ele. Concede-me a mesma paz que concedo aos outros. Deixa-me desfrutar da mesma tolerância que ofereço." Deus irá tratá-lo como você trata os outros.

Você gostaria de ter paz? Então, pare de infernizar o seu próximo. Quer desfrutar da generosidade de Deus? Então deixe que os outros desfrutem da sua. Gostaria de ter convicção de que Deus o perdoa? Acho que você sabe o que precisa fazer.

(Texto retirado do livro Dias melhores virão - Max Lucado)
.
.
.
Em Cristo, para justiça de todo aquele que crê.
.
.
Gisele Mulek

Um comentário:

PB Almir Dionisio disse...

paz,,, Gisele,,, parabens pelo texto ,,,mesmo porque sou fã de Lucado,, Deus continue te usando... http://almirdionisio.blogspot.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...